“Alex Cross” | James Patterson

“Alex Cross” | James Patterson

Carta de Apresentação

James Patterson vende livros como uma padaria despacha pãezinhos acabados de sair do forno. A sua escrita, telegráfica, de poucos adornos e piscando o olho a capítulos curtos, impõe uma velocidade de leitura semelhante à que os pilotos de F1 atingem na recta de meta. “Alex Cross”, primeiro lançamento da Topseller – uma nova editora nacional que propõe plantar no leitor o bichinho da leitura compulsiva -, é um exemplo dessa escrita.

Estrela em ascensão na Polícia de Washington DC, Alex Cross é conhecido dos seus pares pela genialidade e capacidade de improviso, seja pelo sexto sentido que mostra em situações de tensão ou por se lembrar de coisas que, a maior parte das vezes, acabam por se revelar decisivas para o deslindar de um caso complicado.

Quando a sua mulher é assassinada, Alex Cross decide deixar as forças de segurança e regressar à vida de psicólogo e escritor de livros, dedicando mais tempo à família. Porém, quando Sampson, um antigo parceiro, lhe pede ajuda para apanhar um criminoso, Alex Cross não tem o “não” como hipótese. É que, por um acaso do destino, este caso poderá estar ligado ao assassinato da sua mulher. E Michael Sullivan, conhecido como O Carniceiro, é um desafio como poucos outros.

Repleto de acção, suspense e adrenalina, “Alex Cross” serve de carta de apresentação a um novo detective, dando-nos a conhecer parte do seu passado, os meandros obscuros que dominam a cidade de Washington – e também a de Nova Iorque – e alguns dos elementos com que irá trabalhar no futuro. Ficamos agora a aguardar pelo CV completo que, neste momento – e lá por fora -, vai já em 18 livros editados (na série “Alex Cross” esta edição corresponde ao 12.º livro).



Também poderás gostar


There are no comments

Add yours

Pin It on Pinterest

Share This