“365 Pinguins” | Jean-Luc Fromental e Joelle Jolivet

“365 Pinguins” | Jean-Luc Fromental e Joelle Jolivet

Se não conseguem adormecer, contem pinguins

No que diz respeito a livros de grande formato, se apontarmos universo infantil com selo de edição nacional, será muito difícil competir com a Orfeu Negro. Depois de nos ter prendado com duas fantásticas aventuras do pequeno urso e seu pai, que começaram numa recatada floresta, atravessaram uma luxuosa ópera e terminaram numa praia paradisíaca, chega agora a vez dos pinguins darem à costa e em número considerável.

365 Pinguins” (Orfeu Negro – Chancela Orfeu Mini), com texto de Jean-Luc Fromental e ilustrações de Joelle Jolivet, conduz-nos à casa de uma simpática família onde, no primeiro dia do ano, tocam à campainha para entregarem, não uma pizza ou um frango assado com guarnição, mas um pinguim vivo. A acompanhar a estranha encomenda há um bilhete com um toque de enigma: «Eu sou o 1.º e tenho fome o ano inteiro.»

Quando pensavam que se poderia tratar de um caso isolado, recebem um segundo pinguim e outro bilhete no dia seguinte com mais uma rima: «Eu sou o 2.º pinguim. Cuidem de mim, sim?» Aos poucos e ao ritmo de um pinguim por dia, a loucura começa a instalar-se entre o casal e os seus rebentos, com a missão de alimentar um pequeno e movimentado jardim zoológico entre uma infinidade de cruacs.

Com uma série de atribulações, uma dose extra de humor e ilustrações entre o laranja, o preto e o azul, “365 Pinguins” é uma divertida lição de matemática para miúdos e graúdos, onde cabem 182 casais e 1730 patas. A partir de agora, se passarem por uma daquelas noites de insónia, esqueçam os carneirinhos. Contem antes pinguins.



Também poderás gostar


There are no comments

Add yours

Pin It on Pinterest

Share This