9 Songs

Sexo, Drogas e Rock n' Roll by Michael Winterbottom.

Para o mês de agosto reservámos “9 songs ” do britânico Michael Winterbottom que, aos olhos dos mais despercebidos, se revelou em 2001 com “24 Hour Party people”, onde narrava uma história engraçada e emocionante sobre a ascenção e queda da Factory Records de Manchester, bem como a origem do mítico e mais famoso clube nocturno do mundo: o Hacienda, onde nasceram bandas tão emblemáticas como os Joy Division, New Order ou Happy Mondays.

Para “9 songs” o realizador teve como inspiração inicial “Plataforma”, um romance sexualmente explícito de Michel Houellebecq (do qual a personagem lê uma parte em voz alta durante uma cena) , mas este já reservara outros  planos para a adaptação da obra.

O filme é contado em flashback, onde o protagonista Matt (Kieran O´Brien) um investigador que estuda a Antárctida, ao sobrevoar o continente branco numa expedição recorda o seu romance com a estudante americana Lisa (a estreante Margo Stilley) recém-chegada a Londres, desde o seu início durante um concerto de rock até ao seu iminente desfecho. Matt estabelece a comparação do facto de se encontrar na Antárctida a “duas pessoas numa cama – a claustrofobia e a agorafobia num mesmo lugar”. As imagens do gelo e das paisagens são intercalados com as próprias imagens  dos concertos.

Trata-se de uma narrativa simples , em que os dois jovens  exploram os segredos da sua anatomia durante o dia. De noite vão a concertos nos melhores sítios de Londres. Cada encontro sexual acaba com um directo de uma banda: Franz Ferdinand, The Von Bondies, The Dandy Warhols, Black Rebel Motorcycle Club, Elbow, Primal Scream, Super Furry Animals… e Michael Nyman, até completar as nove canções que dão título ao filme.

O filme foi totalmente filmado em DV (vídeo digital) e não foi utilizada qualquer iluminação especial. O que resultou na perfeição pois durante os os concertos a equipa de rodagem podia passar despercebida da multidão e temos a nítida sensação de estarmos mesmo perante uma imagem real. Parece que os concertos estão a ser vistos pelos olhos das personagens. A equipa de rodagem era somente constituída pelo realizador , o assistente de câmara,  assistente de som e o assistente de produção.

Michael Winterbottom nasceu em Blackburn, no Norte de Inglaterra, em 1961 e é já um realizador de créditos firmados no meio cinematográfico independente.Teve o seu ínicio no mundo da 7ª arte com o popular “ Butterfly Kiss” de 1994, seguindo-se “Go Now” em 1995 com que ganha o segundo Prix Europa. Ainda no mesmo ano realizou “Jude” em que uma jovem Kate Winslet dava as primeiras cartas no mundo da representação ao lado de um ainda desconhecido Christopher Eccleston (The Others), que chega a estrear na quinzena de Realizadores em Cannes e ganha o prémio The Michael Powell na categoria de Melhor Filme no Festival de Edimburgo, bem como o prémio The Golden Hitchcock no Dinard.

No ano seguinte, apresenta-nos “ Welcome to Sarajevo” que integrou a Competição Oficial do Festival de Cannes e, em 1998 “ I Want You” (1997) que competiu no Festival de Berlim.

“With Or Without You” produzido para o Channel 4 Films e para a Miramax foi o filme que se seguiu. “Wonderland” brilhou também na Selecção oficial do Festival de Cannes, no Festival de Edimburgo e ganhou o prémio de Melhor Filme Britânico independente.

Em 2001, realizou “The Claim”, e o genial “24 Hour Party people”, que torna a estar em competição em Cannes. Com “In this World” de 2002, tendo sido aclamado pelo público e pela crítica ganhou o Urso de Ouro, o Prémio da Paz e do Júri Ecuménico no Festival de Berlim de 2003, ano em que nos presenteou com “Código 46”, um filme de ficção-científica com Tim Robbins e Samantha Morton, que integrou a Selecção Oficial do Festival deVeneza.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This