rdb_artigo_altabaixa

Alta Baixa

A Baixa Portuense em Alta!

As noites “Alta Baixa – 1 noite, 3 casas”, começam a ganhar o seu espaço, seduzindo um público ecléctico para uma proposta diferente: a possibilidade de, por um preço módico (5 euros), circular por três espaços que oferecem uma programação contrastante. Contudo, no passado dia 7 de Fevereiro, e ao contrário das primeiras edições, assistiu-se à segmentação dos espaços e a uma menor circulação e mistura de públicos.

A equipa RDB chegou já atrasada à Alta Baixa, não conseguindo assistir ao concerto dos The Society For The Big Nothing, no Passos Manuel. Ficou a curiosidade de ver ao vivo um projecto que agrega membros de diferente colectivos nortenhos (The Weatherman, Little Friend, Sandy Kilpatrick e Neutral Reporter). Seguiram-se as propostas electrizantes de Hugo Alfredo & The Fabulosa Marquise que garantiram a festa noite fora para os muitos que visitaram a pista de lança localizada no subsolo do Coliseu do Porto.

Atravessamos a rua e subimos até ao 4º andar para encontrar Bófia a comandar a pista de dança dos Maus Hábitos. Numa noite da responsabilidade da Faca Monstro, imperaram as sonoridades dubstep durante os dj sets. Os concertos/live acts assumem contornos mais experimentais, afastando-se das fórmulas mais dj friendly: HHY & Spaced Out anteciparam o seu EP de estreia, a editar brevemente, num cruzamento entre o illbient nova-iorquino, o jungle e dubstep ingleses, com muito noise e experimentalismo à mistura. Mas seria o japonês Scotch Egg quem viria marcar o momento alto da noite, numa performance louca: ao som de três gameboys, um sampler, um microfone processado e muita distorção, houve muito mosh e headbangin, como se estivessemos num concerto de punk-hardcore.

Apesar da fasquia estar já colocada bem alta, Pedro Santos aceitou o desafio de manter a pista aquecida, fornecendo uma boa dose de dubstep vigoroso. No bar, a selecção ia-se transfigurando ao longo da noite, com os “djs em trânsito” Xico Ferrão e Marcos Tavares a assegurar um escolha eclética (houve de tudo um pouco: funk, soul, hip hop, rock, disco-electro, breakbeat, mash-ups diversos, etc.)

Finalmente, descemos a rua Passos Manuel em direcção a um Pitch Club a rebentar pelas costuras. No comando das rodas de aço encontramos os dj’s da D.I.S.C.O. Texas (Gun’N’Rose e Flip) que, como habitualmente, incendiaram a pista de dança com um electro-techno-maximal que não deixou ninguém indiferente!

O balanço de mais um Alta Baixa é, então, claramente positivo, provando novamente as virtuosidades de uma programação eclética, assente essencialmente em músicos e dj’s nacionais, e que contribui também para consolidar a dinamização da baixa portuense. Assim, e apesar de não estar ainda agendada uma data para novo um evento, ficamos desde já a aguardar com grande expectativa o cartaz que as equipas do Pitch Club, Passos Manuel e Maus Hábitos têm para nos oferecer!



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This