A Casa da Boneca

A adaptação da obra de Henrik Ibsen está em cena no Teatro-Estúdio Mário Viegas até 29 de Janeiro.

Passados 125 anos da primeira vez que a “Casa da Boneca” do dramaturgo norueguês Henrik Ibsen (1828-1906) subiu a palco, a Companhia Teatral do Chiado adaptou esta célebre peça para o público português. Até 29 de Janeiro no Teatro-Estúdio Mário Viegas, em Lisboa.

A peça surge no ano em que a companhia celebra o seu 14º aniversário e conta com o regresso aos palcos de Juvenal Garcês, também responsável pela encenação. “A Casa da Boneca” é uma das obras mais famosas do dramaturgo norueguês Henrik Ibsen, que lhe permitiu obter o reconhecimento do grande público, muito por causa da irreverência do tema. A história gira à volta da condição feminina e do casamento, no final do século XIX e na ousadia de uma mulher, Nora Helmer, que abandona o marido e os filhos.

A história decorre na véspera de Natal, na casa dos Helmer. Tudo parece estar a correr bem, até que surgem duas pessoas que irão trazer a instabilidade à casa e ao casal. Vinda das compras, Nora prepara a festa dessa noite com a felicidade da recente oportunidade oferecida ao marido de um emprego melhor, o que terminará definitivamente com as preocupações financeiras da família. Com a súbita chegada de uma amiga, há muito afastada, lança-se uma sombra na felicidade de Nora.

A trama adensa-se com a chegada de uma terceira pessoa que, vem-se a saber, detém um enorme poder sobre a família Helmer. Confiante num apoio do marido que acaba por não ter, Nora vê-se assim obrigada a tomar decisões fortes e controlar a direcção da sua existência, coisa que ignorou em prol dos homens da sua vida: o pai e o marido. No fim da peça, a protagonista principal reconhece que nunca desfrutou da sua vida na plenitude, uma vez que se apagou perante os homens com quem viveu. É assim que decide tomar as rédeas do seu destino e levá-lo de encontro com as suas vontades, tornando-se assim uma Mulher e não a boneca que até então sempre foi.

No palco vão estar Juvenal Garcês, Vanessa Agapito, Simão Rubim, Juvenal Garcês, Luzia Paramés, Manuel Mendes e Manuela Cassola. A peça estará em cena no Teatro-Estúdio Mário Viegas até 29 de Janeiro de 2005, de quinta-feira a sábado, às 21h00.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This