“A Fraude de Ícaro” | Seth Godin

“A Fraude de Ícaro” | Seth Godin

Mais vale queimar as asas ao sol do que cair desamparado nas frias águas do oceano

 

Seth Godin é autor, conferencista, blogger e uma das grandes figuras modernas nas áreas do marketing, criatividade e inovação, aliando um estilo provocador – e um humor por vezes corrosivo – a uma forma cativante de fazer agir.

Autor de livros como “A Vaca Púrpura” – o maior best-seller de marketing da sua década – ou “Unleashing the Ideavirus” – o primeiro e-book de sempre a atingir mais de um milhão de downloads -, Seth Godin parte agora de um dos grandes mitos da Antiguidade para desenvolver uma das suas máximas: não há nada mais perigoso do que jogar pelo seguro.

Em “A Fraude de Ícaro” (Gestão Plus, 2013), Seth Godin diz-nos que não nos têm andado a contar a história de Ícaro como deve ser. A parte de Ícaro ter desobedecido ao pai, ignorando o conselho de não voar demasiado perto do sol, é verdadeira. Como também o é o seu final trágico: Ícaro aproximou-se do sol, a cera que prendia as asas derreteu, perdeu as asas, caiu no mar e morreu. A parte que Seth Godin diz ter sido omissa é o outro conselho que o pai tinha dado a Ícaro: o de não voar também demasiado perto do mar, porque a água estragaria a sustentação das asas. O que serve para Godin avançar com a tese de que, ao longo dos tempos, a sociedade nos tem feito acreditar que é preferível viver na ilusão da mediocridade do que explorar o nosso potencial até ao limite, como medo de enfrentar os riscos e vendo a ambição como um grande defeito.

“A Fraude de Ícaro” lê-se como um discurso motivacional, onde que Seth Godin defende que é necessário sairmos da zona de segurança para nos dedicarmos a fazer arte: algo que seja novo, real e importante. Para o autor, as novas artes de palco são agora outras: o empreendedorismo, o apoio ao cliente, a invenção, a tecnologia, a ligação e a liderança. A economia industrial é hoje em dia um sinónimo de escassez, pelo que a aposta deve recair numa economia de ligação, que aceite a abundância através daquilo que realmente importa: a confiança, a permissão, a singularidade, histórias que se espalhem e muita humanidade.

Para além de um discurso motivacional que pode impelir ao empreendedorismo ou levar à depressão, “A Fraude de Ícaro” apresenta histórias reais de 14 artistas verdadeiros e o abecedário do artista, uma guia prático para quem se decida atirar à arte. No final, não podemos deixar de concordar: mais vale queimar as asas ao sol do que cair desamparado nas frias águas do oceano. Haja coragem para sair da gaiola.



Também poderás gostar


There are no comments

Add yours

Pin It on Pinterest

Share This