rdb_anjoscaidos_header

“Anjos Com Fome”

Sonhos, mulheres e poemas.

Estreou no dia 2 deste mês a peça “Anjos Com Fome” no Teatro Meridional, com encenação de Natália Luíza. Um universo feminino, que conta com três mulheres em palco, para fantasiá-lo: Ana Lúcia Palminha, Carla Galvão e Susana Madeira.

A companhia conseguiu surpreender, em vez de enganar; ou seja, a sinopse da peça e toda a informação que o público pode ter sobre este assunto, é de facto verdadeira (o que muitas vezes não acontece). Conseguiram, ao longo da peça, transmitir todas as ideias que prometeram: a ideia de sonho, de universo feminino, de serem poemas encenados, etc.

Somos constantemente surpreendidos, embalados tanto pelas actrizes, como pelas soluções cénicas que fazem espantar de tão belas que são.

Não há uma história que se possa contar, nem escolher só uma parte que se tenha gostado mais. Ouvem-se poemas de vários escritores (Al Berto e Gonçalo M. Tavares, dois exemplos), que soam quase como uma música.

Imaginem um primeiro andar, com muitos ramos, com roupa branca pendurada em cabides que abanam levemente, luzes muito suaves que vão acendendo e apagando, espelhos que reflectem essas luzes. E o palco com mais espelhos, janelas e portas, panos; muito misterioso e ao mesmo tempo muito limpo. Sapatos muito bem organizados, apesar de serem muitos. Sons que não conseguimos muitas vezes decifrar, e que nem é preciso. Surgem depois três actrizes, que se divertem em palco, e isso sente-se, com uma panóplia de personagens diferentes, mas todas muito bem conseguidas. Entram e saem com os objectos que precisam, com uma facilidade e magia encantadora.

Sente-se que é tudo muito verdadeiro, e suponho que isso seja, também, fruto das improvisações que se fizeram até chegar aqui.

Talvez por não se estar preocupado em concretizar “coisas”, e conseguindo deixar fluir, se produzam espectáculos como este. Não é necessária uma narrativa, nem coisas óbvias e concretas.

São urgentes peças que tocam “sem se saber como e onde”, como disse a encenadora Natália Luíza. E foi o que realmente senti ao sair do Teatro Meridional; não descobria o que me tinha tocado nem o porquê.

Este espectáculo está em cena até 15 de Abril de 2012.

O Teatro Meridional está de parabéns, não só por “Anjos com Fome”, mas também pelos seus 20 anos.

Reportagem fotográfica por Sofia Ferreira, disponível aqui.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This