“As Portas da Percepção” | Aldous Huxley

“As Portas da Percepção” | Aldous Huxley

Um olhar sobre a arte com o gosto da mescalina

Se percorrermos a história da literatura de frente para trás, será difícil encontrar autores tão versáteis, criativos e imaginativos como Aldous Huxley. Romancista, crítico e ensaísta, Huxley é autor de uma vasta obra, incluindo o visionário e insuperável “Admirável Mundo Novo”.

Tendo mostrado sempre um grande interesse pela ciência e pela experimentação, bem como em compreender o mistério da consciência humana, Aldous Huxley tomou pela primeira vez, numa radiosa manhã em Maio de 1953, quatro décimas de grama de mescalina. Porém, ao invés de ir para o deserto espraiar livremente a sua trip pessoal, decidiu escrever um dos textos mais inspiradores que serviram de alimento à contracultura americana dos anos 60.

Como refere J. G. Ballard no prefácio de “As Portas da Percepção” (Antígona, 2013), livro que serviu de inspiração ao baptismo dos The Doors, «Huxley acreditava que, ao longo dos milénios da nossa evolução, os nossos cérebros aprenderam a abafar todas as percepções que não nos auxiliam directamente na luta quotidiana pela sobrevivência, mas, ao mesmo tempo, sacrificámos a faculdade de nos maravilharmos.»

Logo de início, Huxley trata de afastar, ainda que tenha também feito parte da experiência, o lado alucinogénico da experiência: «O tal outro mundo a que a mescalina me deu acesso não foi o mundo das visões (…), a grande mudança residiu no domínio dos factos objectivos.»

Numa viagem entre o medo e a iluminação, sempre com um olhar global sobre a arte em muitas das suas manifestações, Huxley aborda os efeitos libertadores desta substância alucinogénica, entrando nos meandros do funcionamento da mente humana e revelando o seu desejo  muito particular de transcendência do ser humano, aproximado-o de uma percepção mais directa da realidade ao invés de uma educação baseada somente na palavra. Como bónus, esta edição oferece ainda “Céu e Inferno”, texto que explora a história de experiências transcendentais.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This