rdb_bansky_header1

“Banksy – Pinta a Parede!”

Um retrato fiel da arte urbana.

Com estreia nas salas de cinema esta semana, “Banksy – Pinta a Parede!”, insere-se num conjunto de iniciativas subordinadas ao tema “A arte sai à rua”. E nós, aqui na Rua, mantemos-te a par de tudo.

Entre as várias iniciativas incluem-se debates, nas lojas FNAC do Chiado, Colombo e ainda na FNAC de Santa Catarina, no Porto. Estes debates incidirão sobre o tema da arte urbana e contarão naturalmente com a presença de vários artistas e também galeristas.

Durante o final de Maio e início de Junho será inaugurada a exposição “A Rua Continua”, na Galeria de Arte Urbana da Câmara Municipal de Lisboa, dando assim continuidade a um projecto dedicado a esta forma de expressão artística. Para além disso, a arte urbana de Lisboa, compreendida ente 1974 e a actualidade, estará disponível no site, a ser lançado ainda. Também a editora Taschen dá o seu contributo, com o relançamento do livro “Trespass – História da arte Urbana Não Encomendada”.

Voltando a “Banksy – Pinta a Parede” (cujo título é uma tradução bastante livre do original “Exit Trough the Gift Shop”), o filme centra-se na figura de Thierry Guetta, um francês excêntrico que vive em Los Angeles e tem uma fixação em filmar tudo e todos à sua volta.

Numa visita a França e, quase por acaso, começa a filmar o seu primo, que é Space invader, um dos pioneiros da arte urbana. Através deste, Thierry conhece e filme outros artistas famosos, como por exemplo Shephard Fairey, decidindo então fazer um documentário sobre todo este movimento.

No entanto, falta-lhe uma importante colaboração: a de Bansky, o misterioso artista e activista britânico que nunca antes se tinha deixado apanhar por uma objectiva. Por mero acaso, os caminhos de Banksy e Thierry cruzam-se, dando origem a uma estranha relação.

Quando o britânico se dá conta que Thierry não tem qualquer aptidão para realizador, inverte os propósitos e torna-se ele próprio realizador, mostrando – imagine-se o quê – as gravações de Thierry, resultando num documentário sobre o percurso deste. A reviravolta surge quando Banksy incentiva Thierry a tornar-se ele próprio num artista urbano, sugestão que este aceita, sob o nome de Mr. Brainwash.

Tendo sido nomeado para os Óscares na categoria de Melhor Documentário, “Banksy – Pinta a Parede!” é um filme satírico, dotado de humor do princípio do fim sem deixar de, no entanto, ser um retrato  bastante fiel da arte urbana, desde o seu início até à actualidade.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This