Bar Marroquino

Situado na zona perto do castelo de São Jorge, fiquem a conhecer mais um pouco deste local peculiar e obrigatório.

Surgiu há relativamente pouco tempo numa zona que está cada vez mais interessante e revitalizada no que diz respeito às propostas de diversão nocturna da capital portuguesa. A zona do castelo de São Jorge, apesar de todas as dificuldades de acesso que lhe são conhecidas, é um local priveligiado, com uma vista magnífica para o Tejo e uma tradição e história peculiares. Completamente “esgotada” em altura de Santos Populares, tem sido dinamizada com a abertura (e reabertura) de alguns estabelecimentos de diversão nocturna como é o caso do Café Concerto Santiago Alquimista e deste peculiar bar Marroquino.

Para quem conhece a zona, é bastante fácil lá chegar. Quem está à porta do Chapitô, é só descer a rua mais um bocadinho e rapidamente encontra o Bar Marroquino. Possivelmente estará de porta fechada, pois o ambiente assim o exige, por isso bata à porta e alguém o irá atender. Não é fácil encontrar um espaço dentro do bar porque a área é reduzida e a procura é muita. Se a sorte estiver consigo, tem um “puff” ou um banco para se sentar e a partir daí a experiência é muito agradável.

O ambiente é de fumo, de cheiros e de música tradicional marroquina, mas não só. De alguma forma, as tradições do país do norte de África são muito bem simuladas neste pequeno espaço Lisboeta. As propostas de consumo são variadas mas as mais interessantes são obviamente os chás tradicionais que podem servir de estimulante ou afrodisíaco e que são muito saborosos. Para acompanhar o chá pode, e deve, pedir um cachimbo de água (ou de whisky) com o tabaco tradicional marroquino. A lista de sabores do tabaco é bastante grande de forma a agradar a gregos e a troianos, o que pode causar alguma indecisão na altura de escolher. Depois de tudo pronto delicie-se com umas boas “passas” e um belo de um chá entre dois dedos de conversa com os amigos ou amantes.

Possivelmente, a tentação de utilizar um “outro” tipo de tabaco nos cachimbos é bastante grande, mas a advertência para a sua proibição é bastante visível. As regras são para se cumprir mas a consciência é de cada um, por isso, fica ao critério pessoal de cada indivíduo a sua utilização.

Aqui fica mais uma sugestão para passar um bom bocado na capital, de uma forma diferente, descontraída e muito agradável. Não deixe de experimentar pois tenho a certeza que irá gostar.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This