Beyond: Two Souls – Remastered

Beyond: Two Souls – Remastered | Análise

uma obra de referência

Com a chegada de Beyond: Two Souls à PlayStation 4, chegou a altura de actualizar a nossa análise a este jogo da Quantic Dream que o nosso redactor, Carlos Eugénio Augusto, classificou em 2013 como “uma das melhores experiências emocionais no mundo das consolas”. No que me diz respeito, em 2013 acabei por não experimentar este jogo dos criadores de Heavy Rain. Algo que aconteceu, acima de tudo, pelo simples facto de já estar a guardar as minhas poupanças para a PlayStation 4 que estava quase, quase a chegar. A verdade é que, como eu, muitos outros jogadores fizeram o mesmo e Beyond: Two Souls nunca viu reconhecido o seu real valor enquanto jogo de eleição.

Contudo, este era um dos jogos que ainda queria experimentar e agora, depois de testar a versão remastered de Beyond: Two Souls na PlayStation 4, a verdade é que concordo na totalidade com a anterior análise. Beyond: Two Souls é um excelente jogo e a sua introdução na biblioteca da PlayStation 4 vem proporcionar, a todos aqueles que não o haviam experimentado anteriormente, a oportunidade de o poder fazer na nova geração de consolas.

Como seria de esperar, a jogabilidade mantém-se praticamente inalterada na PlayStation 4. A Quantic Dream apenas melhorou alguns pormenores, com o intuito de proporcionar uma melhor experiência de jogo em algumas das cenas com mais acção. A grande diferença surge precisamente no final de cada sequência de história onde, como acontece habitualmente nos jogos da Telltale Games, surge um ecrã onde podemos comparar as nossas decisões com aquelas que os outros jogadores, pelo mundo fora, tomaram. A ligação dos lançamentos da Quantic Dream com os jogos da Telltale é óbvia através do foco que ambas assentam habitualmente na narrativa. A inclusão deste ecrã no remaster de Beyond: Two Souls é tão natural que até parece que já existia no jogo original. Não obstante, este ecrã é ainda um chamariz que atrai os jogadores a voltarem a passar as várias sequências que a história tem para oferecer e experimentar o que acontece com as outras opções que podiam ter tomado.

Beyond Two Souls remastered

A outra grande novidade é precisamente a nova opção que permite aos jogadores avançarem através da narrativa por uma ordem cronológica. Como vos disse, apesar de não ter jogado a versão original, fiz questão de passar Beyond: Two Souls na sua forma original e a verdade é que dei por mim confuso em vários momentos graças ao deambular para trás e para a frente da narrativa. O novo modo que avança de uma forma cronológica agradará com certeza a todos aqueles que gostam de uma experiência mais simples e linear. Ainda assim, recomendaria passar o jogo na sua forma original porque, afinal de contas, foi assim que o seu criador pretendeu inicialmente que o fizéssemos. Com este lançamento na PlayStation 4 vem incluído ainda o DLC da PlayStation 3: “Experiências Melhoradas” e é ainda importante referir que todos aqueles que comprarem Beyond: Two Souls na PlayStation 4 terão direito a um desconto na versão remastered de Heavy Rain que chegará já no próximo ano à mesma consola.

Beyond Two Souls remastered

Surpreendentemente, apesar de este ser um lançamento original da PlayStation 3, as capacidades da PlayStation 4 acabam por estar em evidência com Beyond: Two Souls. No entanto, sendo este um upgrade da anterior para a nova geração, as melhorias visuais deviam ser óbvias mas não é bem o caso. Isto porque, na PlayStation 3, Beyond: Two Souls já era visualmente excelente e explorava a anterior consola da Sony até ao limite. Na PlayStation 4 a melhoria em termos de grafismo acaba por ser ténue mas não impede que Beyond: Two Souls seja uma das melhores experiências visuais que já tenha jogado até hoje na nova consola da Sony. O jogo da Quantic Dream beneficia claramente dos 1080p e as melhorias visuais sobressaem sobretudo nas texturas de pele, nos cenários, nas sombras e nos reflexos da água. O framerate, apesar de trancado a 30 fps, mantém a experiência muito suave e sem qualquer quebra. Outra novidade é o facto de existir áudio a sair directamente do Dualshock 4. Uma adição interessante, sem dúvida, mas que poderia ter sido explorada em mais algumas das interacções com Aiden, por exemplo.

Beyond Two Souls remastered

Beyond: Two Souls é uma obra de referência de David Cage e da brilhante Quantic Dream. Um videojogo cuja experiência cinemática consegue atrair várias pessoas que até podem nem gostar de jogar. Por outro lado, também pode afastar aqueles jogadores que gostam de ter um papel mais activo nos seus videojogos. Afinal de contas, Beyond: Two Souls acaba por ser uma festa de Quick Time Events, com espaço para pouca jogabilidade directa. Seja como for, aqui pela Rua de Baixo continuamos a adorar Beyond: Two Souls como um jogo único, que já era excelente na anterior geração de consolas e que só melhorou com a sua entrada nesta. Esta versão remastered na PlayStation 4 é, sem dúvida, a melhor versão deste grandioso título da Quantic Dreams e é a versão que obrigatoriamente terá de fazer parte da tua biblioteca de jogos.

 



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This