rdb_artigo_blackvox

Black Vox

Histórias Negras em Teatro de Terror na Casa Conveniente.

Podia ter sido sexta-feira 13, mas foi uma semana antes. No dia 6 assistimos ao espectáculo de humor negro e horror Black Vox apresentado pelo Teatro do Eléctrico na Casa Conveniente. Os actores eléctricos são: Sílvia Figueiredo, Vítor Oliveira, Ana Lázaro, Patrícia Andrade e Ricardo Neves-Neves, sendo os textos autoria dos 3 últimos.

Encontrámos na Casa Conveniente um labirinto escuro e as boas-vindas eram dadas por uma menina, que com a sua extrema sensualidade nos mostrava vísceras, beijando-as. Podia de facto parecer-se com um açougue, mas a acção transformava-se noutra coisa que prendia.

O horror show começava no Lote 513 3.º Esquerdo com uma mulher que perde a orientação física e mental dentro da sua própria casa. Com imagens de vídeo projectadas numa tela, a actriz coreografa uma dança frenética que se projecta em sombra na tela, parecendo ocupar aqueles corredores e quartos numa viagem perturbadora através de uma interessante exploração de espectros.

Uma mulher carregadinha de volúpia surge sentada à nossa frente e de mãos atadas começa a responder a um questionário judicial. Com a voz dobrada, Sílvia Figueiredo apresentava-nos a pin up bang bang, sexy e naïve, mas que traz consigo um pequeno problema – o de não conseguir controlar que os homens com quem se envolve percam a cabeça por ela, literalmente!

Manual mostra a estória de uma menina cheia de sonhos, que levava reguadas da professora por ser esquerdina e cujo maior sonho era ser bailarina. Um discurso poético que nos mostra a fragilidade da infância, e que se vai mostrando perturbador à medida que a menina cresce, tornando-se verdadeiramente aterrador quando esta mostra a face.

Na recuperação desta última, eis que num canto surge um estranho ilusionista, Rodolphe Stephanie, que em profunda melancolia grita pela sua partner. De uma fisicalidade eloquente, Ricardo Neves-Neves preenche o espaço transformando-o num palco miniatura onde tudo ganha vida e onde percorremos a triste estória do ilusionista do coração partido.

Vítor Oliveira surge na tela interpretando um detective que trabalhará no caso da mulher que faz os homens perderem a cabeça, numa montagem de vídeo repleta de situações irónicas que nos remete para o universo da banda-desenhada. A personagem acaba por sair da tela e encontra-se com a maldita pin-up, num duelo que mais parece um tango.

Black Vox é um espectáculo que alia o inevitável contacto entre o humor e o horror, numa abordagem poética onde a comicidade adquire várias formas e onde reflectimos sobre a plasticidade da encenação e do actor.

Esta peça vai ser apresentada no Teatro da Trindade, de 29 de Abril a 17 de Maio (4ª a sábado às 22H e domingos às 17H).



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This