Bob Dylan – Nobel da Literatura

Bob Dylan – Nobel da Literatura

Pode parecer, mas os tempos não estão a mudar

É típico das comissões encarregues de atribuirem prémios, mandar tiros ao lado e o Nobel da Literatura entregue a Bob Dylan não é excepção. Primeiro porque Dylan não edita nada relevante desde “Slow Train Coming” de 1979, isto sem contar com vários momentos discográficos embaraçosos que os profetas dos media musicais insistem em louvar porque sairam da pena de Dylan. Se fosse um qualquer John Doe seria apenas uma medíocre tentativa de soar a Bob Dylan, mas assim, venha a consagração. Estamos a falar do mesmo Dylan que ofereceu uma actuação a roçar o embaraço, há poucos anos no NOS Alive, capaz de fazer a mais obscura banda de covers do interior transmontano parecer brilhante.

O facto de Dylan receber um Nobel não confere mais mérito ao seu trabalho, pelo contrário, só prova como ele se tornou parte do mesmo status quo que passou a melhor fase da sua carreira a criticar, quer em modo acústico quer em modo eléctrico. Depois, claro, há o facto de Dylan ser um bastião da cultura americana, não da mundial, porque se o seu percurso literário (existe?) é elegível pela academia, então que dizer de um Jacques Brel, de um Bob Marley ou de um Jim Morrison? Também há que considerar que, o que Dylan escreveu não foram poemas, foram letras de canções, o que torna ainda mais estúpida a atribuição do prémio, mas que no fundo não surpreende, já que foi esta a academia que conferiu o Nobel da Paz a Obama mal ele se sentou na Casa Branca.

Talvez o próximo passo seja o Banksy receber um Oscar pelo melhor argumento ou o Tarantino um Grammy?

Os tempos não estão a mudar, isto é só mais da mesma imbecilidade de gente ortodoxa que ficou lá atrás e que infelizmente tem a capacidade de gerar tendências, pelo menos para os menos atentos. Também, o que seria de esperar de uma comissão composta por advogados, políticos e professores quase todos sexagenários?

O pior é que a seguir a isto vem o seguidismo de quem continua a aceitar as opiniões dos “especialistas” e lá vão os CDs e os discos de Dylan sair disparados das prateleiras. Afinal, alguém tem de ganhar com isto.

 



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This