rdb_cchauchat_header

C. Chauchat

O “Gato quente”.

Pronuncia-se “Show-shaw” e é uma marca de gravatas, laços e lenços para homem. Consideram que os seus produtos são man-friendly, para homens de bom gosto de alta qualidade. O nome nasceu da novela alemã “Der Zauberberg” de Thomas Mann e da sua personagem principal Madame Chauchat que traduzido em francês dá algo como “gato quente”. O nome reflecte muito a marca é divertida e com um fundo interessante.

Com base em NYC, a C. Chauchat resulta da colaboração entre Curie Choi e Beverly Liang. A marca nasceu de um amor conjunto pelos acessórios masculinos, pelo clássico, pelas peças de alta qualidade e pelas técnicas artesanais.

O percurso de ambos é curioso. Choi estudou Física antes de entrar na Parsons onde estudou design mas foi com a famosa designer de moda Isabel Toledo que aprendeu mais sobre sample prodution e design. Liang licenciou-se em Antropologia na Universidade de Chicago com uma enfoque em teoria da moda e cultura do consumidor. Juntaram-se, assim dois criativos com muita vontade de desenvolver peças originais.

Curie Choi e Beverly Liang trabalham juntos num apartamento no bairro de East Village onde meticulosamente criam as colecções de gravatas, lenços e laços artesanais. Cada peça é exclusiva já que são feitas manualmente. Embora no inicio todas as peças desta marca eram feitas por encomenda e por isso cada gravata tinha o nome da pessoas que as pedia, agora aceitam pedidos customizados e criam colecções periodicamente.

No site da marca, através de fotografias podemos ver mais ou menos como é o processo de criação. Colocam camadas de tecido transpareente com tecido opaco com impressões, criando um look aparentemente complexo. Choi e Liang usam uma técnica de collage manual muito complicada, produzem gravatas com 4 camadas de tecido: seda, chiffon, tule e dois algodão impresso.

Quando cria, esta dupla está sempre a pensar constantemente no que fica bem num homem e como é que a gravata pode entrar no seu mundo. Usam tecidos femininos e técnicas de couturre. É uma forma muito feminina de ver a moda masculinas mas como grande inspiração usam os homens das suas vidas. No entanto e apesar das técnicas manuais, as suas peças são pensadas para uso diário.

Já na sua terceira temporada, a ultima colecção foi inspirada no “dandy de férias” e apresenta uma variedade de estilos que canalizam o estilo Op Art e quadros do David Hockney. Nesta última colecção atreveram-se também a criar novas peças (lenços e laços) colaborando com o Rober Gellar

Se o look dandy não te convence esta marca decididamente não é para ti. Mas se te consideras um dandy ou queres conhecer um pouco mais desta marca recomendo-te que entres no site deles e vejas as fotos e todo o processo de produção.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This