Camouflage

Design, criatividade, alucinações gráficas, Portugal. O que tem isto tudo em comum?

Portugal atravessa uma excelente fase de criatividade ao nível do design gráfico. Já aqui falámos da Musa Collective, mas os exemplos não se ficam por aí. Desta feita, revelamos a Camouflage, revista experimental de design em PDF, que pretende dar a conhecer novos e reconhecidos talentos da área.

Nascida em Maio de 2002, pelas mãos de David Carvalho (aka DC/Electroclandestino), foi apenas em Julho do ano seguinte que se lançou na world wide web, feita que estava a escolha do nome, os artistas a participar e se, em última instância, o projecto “tinha pernas para andar”. Os moldes decididos foram os de esta revista ser trimestral, com o número de intervenientes na mesma a ser fixado em nove, mas com o tempo de vida de dois anos pré-determinado. Como alguém tinha de o fazer, a Camouflage tem o mérito de ter sido a primeira revista do género a ser lançado em solo português.

De tema livre, rege-se apenas pela criatividade e nasceu porque achava que existia um vazio de projectos e dinamismo em termos de design nacional, sendo que o objectivo principal seria o de diminuir o individualismo inerente aos designers e criar um maior sentido de comunidade. Também existe, por detrás disto tudo, a ideia de observar a natural evolução do trabalho feito, seja através da alteração de estilos, ou pelas “modas” existentes.

A Camouflage manteve-se muito low-profile ao longo destes últimos tempos. Dois anos passados, o “desfolhar” do último PDF, lançado numa edição especial onde se reuniram as últimas 8 edições, dá para ter uma noção da evolução do design em Portugal e as diferentes tendências.

Apesar de ser um projecto totalmente português, todo o site, bem como a revista, está redigida em inglês para que se abram novas portas e o trabalho não permaneça “dentro-de-portas”. Entre as suas “páginas” já passaram nomes como RMAC, Vector Brigade, Fluór Design, VectorBoost, Sino Design, NLF Magazine, Musa Collective, Passvite, R2, Spirituc, Nuno Valério, Carlos Quitério, entre muitos outros ao longo destes dois anos.

Agora, no final do seu ciclo, a Camouflage convidou dezoito pessoas para livremente intervir em 27 peças da Krvkurva, onde se incluem as malas La.Ga, Ga.Lo e Dis.Co, cujo trabalho final fará parte da edição número 9, uma compilação dos melhores trabalhos feitos nestes dois anos. Também como capítulo extra, está previsto publicar o resultado de uma intervenção por quinze designers nacionais, em igual número de ténis da marca Vans, naquela que é uma verdadeira junção de forças entre as duas e a RDB. O resultado destes trabalhos vão fazer parte de uma exibição a nível mundial, como forma de mostrar como se manifesta a criatividade nacional nas mais diversas formas.

Em jeito de conclusão do projecto, está em vigor a angariação de trabalhos de tema livre e aberta a todos quantos queiram participar. Os trabalhos seleccionados também vão fazer parte do livro Camouflage, a ser editado já em 2006.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This