Capital Cities @ Santiago Alquimista (13.09.2013)

Capital Cities @ Santiago Alquimista (13.09.2013)

Ambiente bem-disposto e super intimista na estreia da banda em Lisboa

São 21h30, e o ambiente intimista do Santiago Alquimista começa a compôr-se. Fiquei contente por voltar àquela sala para ver um concerto. Fez-me relembrar os tempos em que vi por lá Those Dancing Days e Zero7 mas, desta vez, os Capital Cities tiveram o seu lugar. Entre atrasos na sua entrada, a fila gigante para conseguir uma imperial ao balcão, a conversa e o cigarro, a espera foi tranquila. Não estava cheio, fãs na frente e um ambiente de gente mais velha que foi lá pelo tema mais pop da banda, «Safe and Sound».

Pelas 22h e qualquer coisa, Ryan Merchant e Sebu Simonian entraram em palco e vieram acompanhados de um baixista, Manny Quintero, e um trompetista, Spencer Ludwig. A batida vinha gravada nos computadores e lançaram a magia com uma cover dos Pink Floyd, «Breathe», conhecida por muitos. Ouviu-se a «Kangaroo Court». Os músicos estavam vestidos com um casaco igual, com o nome de cada um na frente e da banda atrás. Esqueceram-se que, por estes dias em Lisboa, faz um calor insuportável e mais valia terem trocado os casacos por t-shirts.

Temas muito disco, as tais purpurinas dançantes, sorrisos e coros variados. Eles até tinham uns passos de dança ensaiados e que revelaram a todos os presentes. Tocaram «Farrah Fawcett Hair», «Patience Gets Us Nowhere Fast», «Chartreuse», «Origami», «Love Away» e «I Sold My Bed, But Not My Stereo» entre mais uma cover na manga mas desta vez, dos Bee Gees, «Stay Alive». Despiram os casacos e atiraram-nos ao público e depois convidaram todos a tirarem alguma peça de roupa e atirar ao ar… claro que alguns ficaram em tronco nú. Explodiram o Santiago Alquimista com o single «Safe and sound» e finalizaram o gig com outra cover, da Madonna, «Holiday».

Entre o concerto, o trompetista veio tocar para o meio do público e no fim, ao som de «Safe na Sound» versão remix, convidaram os presentes a subir ao palco e a dançar no meio dos instrumentos e dos próprios músicos. Tempo para dois dedos de conversa com a banda e fotografias com os fãs.

Depois a noite continuou com uma espécie de djset, com Sebu Simonian a passar temas remixados no computador, acompanhado por Spencer na trompete. Ambiente bem-disposto e super intimista que só o Santiago Alquimista oferece. Tenho a dizer que valeu a pena os Capital Cities terem vindo a Lisboa, apresentar-nos o disco “In A Tidal Wave of Mystery”, apesar de não terem esgotado o espaço. Destaco o trompetista que merecia uma salva de palmas individual, e fui embora com um sorriso nos lábios.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This