Cinema Alemão

De 7 a 14 de Janeiro, decorre em Lisboa o primeiro Festival de Cinema Alemão.

O Goethe-Institut e a Medeia Filmes organizam o 1º Festival de Cinema Alemão, onde serão exibidas algumas das mais recentes produções do cinema Alemão. Todas elas são inéditas em Portugal e já presentes e premiadas em diversos festivais de cinema internacionais. Contam todas com legendagem em inglês.

A abertura solene do festival será assinalada com a exibição do filme «O Gabinete do Dr. Caligari» (Das Cabinet des Dr. Caligari), de Robert Wiene, no dia 7 de Janeiro às 21h30 no Goethe-Institut, com acompanhamento musical ao vivo por Daniel Schvetz. O filme marcou em 1919 o começo da idade de ouro desta corrente cinematográfica alemã, que se prolongaria durante toda a década de 20, e decorre num manicómio lúgubre cujo director, o pérfido médico do título, utiliza os seus poderes hipnóticos para obrigar as suas vítimas a cometerem toda a sorte de delitos enquanto estão em transe de sonambulismo.

Um jovem doente lutará com todas as suas forças contra ele para salvar a amada, sem se aperceber de que tudo é produto da sua imaginação e de que a história a que assistimos não é mais do que uma grande alucinação colectiva, um estremecedor passeio pelo lado mais tenebroso da alma humana.

A inauguração oficial do Festival no Cinema King será no dia 8 de Janeiro às 21h30 e contará com a presença de Eoin Moore para apresentar o seu filme «Pigs Will Fly».

O seu protagonista é um eficiente polícia berlinense que, nas horas vagas, se dedica a agredir violentamente a esposa. Quando, numa dessas agressões, deixa a mulher quase morta, é demitido do serviço e indiciado num processo que poderá levá-lo à prisão. Para evitar que isto suceda, foge para S. Francisco, onde vive um irmão há muitos anos. Este reencontro permitir-lhe-á recordar a sua agitada infância, marcada por um pai alcoólico e violento, e exorcizar muitos dos seus fantasmas interiores.

Uma nova relação sentimental porá definitivamente à prova a sua capacidade para aprender com os erros, próprios e alheios, e evitar que o passado se repita. O filme repete-se dia 10 de Janeiro (às 14 horas) e dia 12 (às 19 horas).

No Festival estarão películas já presentes e premiadas em diversos festivais de cinema internacionais. Aqui fica a programação:

«Lichter», de Hans-Christian Schmid (em que o realizador, com um terno e humano realismo, capta a vida das pessoas em busca de estabilidade num mundo de moral ambígua). Em cena dia 9 de Janeiro às 21h30, dia 10 às 17h30 e dia 14 às 19h;

«Halbe Treppe» («A Meio Caminho»), de Andreas Dresen (URSO DE PRATA, Berlim 2002), dia 8 de Janeiro às 17h30, dia 10 às 21h30 e dia 13 às 17h30;

«Das Fliegende Klassenzimmer» («A Aula Voadora), de Tomy Wigand (um filme familiar, mas não infantil, baseado na obra do famoso escritor Erich Kästner, e no qual Tomy Wigand, o seu realizador, procurou recuperar a figura dessa criança que todos os adultos transportam -ou deveriam transportar dentro de si), dia 11 de Janeiro, às 19h;

«Solino», de Faith Akin (eis uma complicada saga familiar de duas décadas protagonizada por italianos emigrados na Alemanha, descrita com muita sensibilidade, um certo toque nostálgico e boas doses de humor), dia 11 de Janeiro às 21h30;

«Fuhrer Ex», de Winfried Bonengel (baseado num livro terrível e auto-biográfico do ex-neo-nazi Ingo Hasselbach, o filme traça um duro e realista quadro da realidade social e política da Alemanha de Leste no período convulsivo da reunificação), dia 12 de Janeiro às 21h30;

«Narren» («Fools»), de Tom Schreiber, dia 9 de Janeiro às 19 horas, dia 13 às 21h30 e dia 14 às 17h30;

«Elefantenherz» («Coração de Elefante»), de Zuli Aladag (na sua primeira longa-metragem de ficção. O documentarista centra o argumento nas peripécias de um pugilista amador, a que o jovem actor Daniel Brül -«Adeus Lenine!»- dá vida numa interpretação excepcional), dia 11 de Janeiro às 14h e dia 14 às 21h30;

Nesta iniciativa que serve para testemunhar o panorama inventivo do Cinema Alemão actual e não só, haverá ainda oportunidade de assistir às 11 curtas metragens provenientes de diversos centros de formação da Alemanha e que integram o programa NEXT GENERATION 2003 que foi apresentado na 56ª edição do Festival de Cannes, de onde salientamos o filme «Das Rad», nomeado ao Óscar na categoria de curta-metragem de animação. Passa dia 9, 11 e 12 às 17h30, dia 8 às 19h e dia 10 à 0h00.

E para completar será possível rever cinco obras do consagrado realizador Volker Schlondorff, o primeiro realizador alemão a ser premiado com um Óscar.

O nome de Volker Schlöndorff é absolutamente indissociável dos de Rainer Werner Fassbinder e Wim Wenders, uma vez que eles são os três pontas de lança da geração de realizadores que, entre os anos 60 e 70, renovaram o cinema alemão, libertando-o da letargia em que se encontrava desde os finais da II Guerra Mundial.

Os filmes a exibir são: «O Jovem Torless» (8 de Janeiro, 14h), «O Tambor» (dia 10, às 19h), «Die Moral der Ruth Halbfass» (dia 9, às 14h), «A Honra Perdida de Katharina Blum» (dia 12, às 14h) e «O Golpe de Misericórdia» (dia 14, às 14h).



Também poderás gostar


There are no comments

Add yours

Pin It on Pinterest

Share This