header-1-1

Comic Con Portugal

Celebrar o “geek” que há em nós

Se, na primeira edição da Comic Con Portugal, imperava a curiosidade natural entre os mais de 30 mil participantes, este ano a festa da cultura pop saiu do armário e pavoneou-se sem complexos pela Exponor.

Agora que já passaram alguns dias do segundo “round” da Comic Con por terras lusas, já é possível fazer um balanço do que se passou por Matosinhos no fim-de-semana passado. A segunda edição da Comic Con Portugal começou com alguns contratempos (o aguardado ator Jason Momoa cancelou a sua presença e o painel de Teen Wolf sofreu algumas alterações de última hora), mas, no final, o que fica na memória são as horas de diversão proporcionadas para todos os públicos e todos os gostos.

E não há maior prova do que os números: 53 mil pessoas passaram pela Comic Con Portugal 2015 e muitas delas fizeram questão de celebrar a cultura pop com pomba e circunstância. Quem, em 2014, foi para ver como era, este ano apareceu já preparado e sem medos: o recinto esteve pejado de “cosplayers”, pessoas que se vestem de personagens que idolatram.

E vimos de tudo: muitas personagens de Guerra dos Tronos, Naruto, Dragon Ball, muitos (e travessos) Deadpool, alguém vestido de Galo de Barcelos, homens fantasiados de Navegantes da Lua e até um Minion gigante a assobiar canções da Guerra das Estrelas.

Neste autêntico espaço de sonhos, moldam-se gostos e aprumam-se fantasias… e toda a gente alinha na brincadeira. Não há limite de idade para se ser “geek” e desengana-se quem pensa que o mundo das sagas e dos videojogos não é para mulheres, pois o recinto estava cheio de orgulhosas nerds, vestidas a rigor.

As famílias também estiveram em destaque, com o evento a conseguir atrair encontros que, de outra forma, seriam deveras improváveis: onde raio seria possível encontrar um pai Jedi, uma mãe Khaleesi e um filho Homem Aranha, se não ali?

Aliás, esta segunda rodada de Comic Con à moda do Porto provou, mais do que outra coisa qualquer, que há realmente espaço para dar asas a todas as vontades, servindo de casa que alberga, uma vez por ano e sem grandes atropelamentos, todos os fanatismos saudáveis, ocidentais e orientais. Ou não fosse o lema da coisa #BeWhateverYouWant (sê o que quiseres)…

No mesmo espaço, convivem os amantes dos videojogos (com um pavilhão cheio de novidades e recordações saudosistas – a mais recente consola e o jogo mais esperado do ano “moram” ao lado das mesas de arcada e dos desafios de Super Mario “old school” e ninguém se chateia com isso) e os maiores adeptos de Star Wars (que, entre marchas imperiais e capacetes gigantes, puderam posar ao lado de uma réplica da nave Tie Fighter X4 e a experimentar o novo “brinquedo” BB-8, que figurará no filme “O Despertar da Força”, quase quase a chegar aos cinemas).

Os fãs de séries também não se podiam queixar com o “line-up” deste ano, pois tiveram direito a painel de “Teen Wolf”, “Once Upon a Time” e até ficaram a conhecer Nathalie Emmanuel, da badalada “Guerra dos Tronos” (o trono também estava por lá, mas com fila de espera para quem se quisesse sentar) e, surpresa das surpresas, John Noble, celebrado como o eterno Walter Bishop da série “Fringe”.

Também os defensores da pop asiática estavam bem servidos, especialmente na ampliada zona de alimentação (Ramen!) e nos pavilhões de merchandise e convívio com artistas de BD, mais plural e com mais espaço, pensado para encher as medidas a quem não tinha ficado satisfeito com o último Iberanime.

Mas, sejamos honestos, o maior destaque desta edição não incidiu propriamente num painel, numa pessoa ou num lançamento exclusivo (sim, estamos a olhar para vocês, Feromonas e restantes Youtubers!)… O que mais conseguiu atrair público de todos os espectros foi mesmo o DeLorean, do filme “Regresso ao Futuro”, estacionado bem na zona central do evento… Não houve quem não tirasse uma fotografia ao pé do carro (ou tentasse entrar lá dentro à socapa) e, convenhamos, não era para menos: é um dos objetos mais celebrados do cinema e não é todos os dias que está ali mesmo à mão.

E já que falamos do passado, convém, ao terminar, falar do futuro… A Comic Con está assegurada em 2016, pelo que, feito o balanço, fica uma certeza: para o ano voltaremos ao sítio onde todos podem ser aquilo que quiserem.

Fotografia de Helena Granjo



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This