rdb_rebolaralegremente_header

Como Rebolar Alegremente Sobre um Vazio Exterior

“Como avançar, se já não se tem recuo?”

O Alkantara Festival acolheu nos passados dias 29, 30 e 31 de Maio, o espectáculo  “Como Rebolar Alegremente Sobre um Vazio Exterior”, com encenação de André Guedes e Miguel Loureiro.

Na sequência da repentina extinção do Ballet Gulbenkian que, em 2005, abalou o mundo das artes performativas em Portugal, a Fundação Calouste Gulbenkian remeteu os adereços dos espectáculos até então levados a cena aos respectivos intervenientes. Ao artista plástico André Guedes foram enviados os figurinos por ele desenhados para a peça de Vera Mantero “Como Rebolar Alegremente num Vazio Interior”. Estes figurinos incluem reproduções dos uniformes dos trabalhadores da Gulbenkian, bem como alguns fatos de fantasia.

“Como Rebolar Alegremente Sobre um Vazio Exterior” nasce da vontade de reutilizar os figurinos de Vera Mantero e resulta numa análise não apenas do actual contexto da criação cultural e artística, mas ainda da realidade de crise social que, neste momento, a generalidade dos indivíduos enfrenta: desemprego, salários precários, cortes orçamentais…

Evocando a Comuna de Paris – o primeiro governo operário, fundado em 1871, em Paris, como consequência da resistência popular perante a invasão alemã -, André Guedes e Miguel Loureiro reflectem sobre a impossiblidade das utopias. Sobre como todas as propostas para a construção de uma sociedade igualitária e justa falharam. Sobre como, afinal, vivemos oprimidos por uma lógica capitalista de produção de lucro enquanto justificação máxima para as acções e limite das liberdades.

Os actores não são personagens, mas sim narradores, contam a história da Comuna e cantam “C’est la lutte finale / Groupons-nous, et demain / L’Internationale / Sera le genre humain”, num espectáculo irónico, hilariante, mas de um realismo e contemporaneidade perturbadores.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This