Cosmopolis @ ZDB

O espaço do bairro alto recebe grande parte da programação do festival urbano de Lisboa. De 4 a 7 de Outubro.

O Cosmopolis está de volta. Seis anos após a primeira edição, o festival continua a apostar da diversidade musical e especialmente nas novas conquistas da electrónica. Depois de ter passado, em edições anteriores, pelo Convento do Beato, Jardim da Estrela, Estufa Fria, Castelo de São Jorge e Gare Marítima de Alcântara, a maior parte da programação deste ano assenta arraiais na Galeria Zé dos Bois.

Depois do Cosmopolis ter eleito Budapeste, Berlim, Praga e Hawai, este ano o Festival colabora com a Cidade de Paris, sendo que as iniciativas no campo da imagem serão inteiramente constituídas por artistas residentes na capital francesa, escolhidos pelo corpo de programação do Cosmopolis.

O primeiro dia do Cosmopolis na ZDB irá pautar-se pela presença de três projectos que se focam no campo da experimentação, tendo todos eles um passado rico no trabalho sobre o drone. Assim, teremos o emblemático duo de música cósmica italiana My Cat Is An Alien, o português Rafael Toral, e o norte-americano Keith Fullerton Whitman.

O segundo dia do festival, a decorrer no dia 5, conta com projectos que encontram um ponto de união através de uma muito palpável sensibilidade e riqueza melódicas, inseridas em contextos desconstrutivistas de meios electrónicos e fontes tanto digitais quanto analógicas. Marcam presença nesta noite o duo Icarus, bem como a banda/colectivo lisboeta We Shall Say Only The Leaves.

A programação de quinta-feira, dia 6, é preenchida por três projectos de cidadãos norte-americanos cujos trabalhos convergem num profundo distanciamento de cadências harmónicas, rítmicas comuns, encontrando empatias em estranhezas íntimas, resultados de tentativas extremamente conseguidas de escape a normalidades melódicas. Ao palco sobem os Jane, duo de Panda Bear (membro dos Animal Collective) e Scott Mou, bem como Blevin Blectum a solo.

O último dia de eventos da colaboração entre o Festival Cosmopolis e a Galeria Zé dos Bois  foca-se em artistas da área da electrónica, que possuem uma forte intersecção criativa com os campos da dança performativa. Nesta noite actuam o projecto alemão Candie Hank e os norte-americanos Duran Duran Duran.

Nesta data será também apresentado o filme «Étude sur Paris» (André Sauvage, 1928, 80’), que será acompanhado por um live set dos DJs parisienses Antipop e Shamon Takahashi.

Paralelamente, tomam lugar uma série de iniciativas no domínio das artes visuais, a decorrer na Sala Verde da Galeria, inseridos no projecto Cityvideodrome. Uma programação de vídeo nocturna, que questiona a existência ou não de uma ou mais identidades no vídeo francês do século XXI, explorando a relevância do som neste campo de trabalho estético particularmente preocupado com a exploração, dissecação e apresentação da vida, da cidade e de si próprio.

Fiquem com o cardápio:

4 de Outubro às 22h00 na ZDB

My Cat Is An Alien (IT)
Rafael Toral (PT)
Keith Fullerton Whitman (US)

5 de Outubro às 22h00 na ZDB

Icarus (UK)
We Shall Say Only The Leaves (PT)
Oval (US)

6 de Outubro às 22h00 na ZDB

Jane+ Scott Mou (US)
Blevin Blectum (US)
Evil Moisture (US)

7 de Outubro às 22h00 na ZDB

Duran Duran Duran (US)
Candie Hank (DE)
Cine Mix (FR)

Bilhetes:

Entrada dia: 10 €
Passe para o 4 dias: 30 €
Entrada dia Sócios ZDB: 8 €
Passe para os 4 dias Socios ZDB: 25€

O resto da programação do Cosmpolis:

Sábado, 1 de Outubro – Fórum Lisboa
Donna Maria (Portugal), Bumcello (França)

Sexta, 7 de Outubro – Bar Incognito
DJ Rai (Portugal), Sean Kosa (Canadá), Antipop (França)

Sábado, 8 de Outubro – Instituto de Agronomia
ALEXX (França),Ohm Square (República Checa), Plaza (Portugal), Telepopmusik (França), The Gift (Portugal)



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This