Diablo 3

Diablo 3 | Análise

Finalmente nas consolas.

No dia 3 de Setembro chegou a versão de Diablo 3 para a as consolas Playstation 3 e Xbox 360. Esta foi a primeira abordagem ao mundo das consolas por parte da Blizzard e trouxe com Diablo 3 algumas componentes que diferem das que podíamos encontrar na versão para PC. Por norma os jogos de PC transportados para as consolas ficam sempre um pouco aquém das expectativas. Será que estamos perante mais um exemplo disso ou será que foi nas consolas que encontramos a verdadeira experiência de Diablo 3?

Depois das várias horas dedicadas à versão para o PC já com a dificuldade máxima desbloqueada, o primeiro pensamento que me ocorreu quando soube que Diablo 3 iria ser transportado para o mundo das consolas foi: “Já o tenho para o PC, o que é que me vai fazer preferir a versão das consolas?” Mal sabia eu o que me esperava. Com algumas adaptações, algumas mais bem conseguidas do que outras, mas sem dúvida necessárias, a Blizzard conseguiu uma fantástica estreia nas consolas com o que até hoje foi sempre uma série exclusiva para o PC.

No que diz respeito à historia, esta não sofreu quaisquer alterações. No entanto, para quem não a conhece, segue uma breve descrição. Vinte anos depois dos eventos que levaram à derrota dos “carinhosos” irmãos demónio Baal, Mephisto e Diablo em Diablo 2: Lord of Destruction, eis que cai um cometa no preciso local onde Diablo foi derrotado. Diablo e a sua vasta legião de demónios estão de volta e nós temos a missão de os derrotar. Ao nosso dispor estão cinco classes, o Barbarian (Bárbaro), Witch Doctor (um praticante de magia ao estilo Voodoo), Wizard (Feiticeiro), Monk (Monge) e Demon Hunter (Caçador de Demónios).

Diablo 3 - PS3 - Gameplay

As classes continuam as mesmas mas, no que toca a Jogabilidade, será que a versão das consolas consegue ser mais envolvente do que o tradicional Point and Click que tem vindo a acompanhar a série Diablo no PC? Consegue, e de que maneira. Mover o nosso personagem na direcção que queremos é mais simples nas consolas, uma vez que basta utilizar o analógico do comando para o fazer. Em relação às várias habilidades do nosso herói, estas estão já programadas para os vários botões do comando (que podemos sempre alterar a gosto). Uma vez que a movimentação do nosso personagem é mais livre na consola do que no PC, chega-nos uma habilidade exclusiva para as consolas, o Rebolar. Com o simples deslocar do analógico direito na direcção que pretendemos, o nosso personagem pode agora desviar-se com maior facilidade de projecteis, feitiços, e das habilidades dos vários Bosses que, se não tivermos cuidado, nos podem matar com apenas um toque.

Mais do que salvar o mundo, é pelo loot (sistema de recompensas que os nossos inimigos largam quando os derrotamos) que os nossos heróis (e por heróis refiro-me a mim e a vocês) arriscam o pescoço contra as hostes de Diablo. Alegrem-se então porque nas consolas as probabilidades de  encontrarmos itens de qualidade rara e até mesmo lendária é bastante superior. Houve quem conseguisse por exemplo um item lendário a nível 12, algo inédito no PC. Esta probabilidade aumentada de recompensas deve-se ao facto de na versão das consolas não existirem as Auction Houses. A Gold Auction House e Real Money Auction House, existem na versão para PC e consistem num espaço onde a comunidade pode vender os vários itens que vão encontrando ao longo da sua viagem em troca de  Gold (moeda do jogo) ou dinheiro real. Depressa esta componente foi criticada pelos fãs dizendo que tornavam o jogo Pay to Win. Isto significa que quem tem mais dinheiro, tanto real, como no jogo, tem acesso mais rápido a itens de qualidade superior ao contrário daqueles que preferem jogar Diablo como faziam nos títulos anteriores, sem Auction Houses. Diablo 3 nas consolas ficou assim aclamado como a verdadeira experiência de Diablo 3, uma vez que a temática que sempre representou a série Diablo, matar demónios e obter enormes recompensas por fazê-lo, é mais forte aqui do que no PC e faz-nos dar mais valor aos itens que vamos encontrando.

Diablo 3 - PS3 - Gameplay

O menu de inventário foi também alterado para que melhor se adaptasse às consolas. Não é assim tão impressionante, mas não deixa de ser uma boa solução. Ao abrir este menu temos acesso a uma roda e ao percorrê-la com o analógico esquerdo vamos seleccionando os vários espaços onde podemos equipar o nosso personagem. Foi também adicionada nos botões direccionais a capacidade de percorrermos os vários itens que temos no inventário e escolher equipar ou largar os mesmos no chão sem que precisemos de aceder a um único menu. Os scrolls of identification não estão também presentes nesta versão, todos os itens que apanharmos já vêm com toda a informação desbloqueada. Tudo isto para que passemos mais tempo a jogar do que a ler.

Em termos de grafismo, Diablo 3 é inferior à versão para o PC. A Blizzard aposta acima de tudo na qualidade e para garantir que o jogo corre sempre, mas sempre, a 60 frames por segundo, seja em que situação for, teve de ser sacrificada alguma qualidade gráfica.

O sistema de PVP (Player Versus Player) Brawling também faz parte desta versão e jogar Online ou Offline está à nossa escolha. Há no entanto uma última novidade que me fez preferir esta versão à do PC, a adição de local-play até 4 pessoas. Quer isto dizer que podemos jogar com a namorada ou amigos no nosso sofá sem que eles precisem de ter também uma cópia do jogo. Há no entanto uma desvantagem ao jogar em local-play que é o facto de termos de esperar sempre que alguém precise de aceder a um menu, o de inventário por exemplo.

Diablo 3 chegou pela primeira vez às consolas e facilmente fez delas o seu lar oferecendo uma fantástica experiência para quem o quiser experimentar. A ausência das Auction Houses faz também com que a experiência de Diablo seja mais envolvente e gratificante. Se juntarmos a tudo isto o facto de podermos desancar as hostes das forças do mal com mais amigos no sofá, temos diversão que nunca mais acaba.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This