Doclisboa 2014

DocLisboa 2014 – Programação

O Cinema Documental invade Lisboa

Foi apresentada a programação da 12ª edição do Doclisboa – Festival Internacional de Cinema, que se realiza de 16 a 26 de Outubro. Este ano o festival vai exibir 250 filmes de 40 países, somando um total de 109 longas e 141 curtas-metragens, com 40 estreias mundiais, das quais 18 são de realizadores internacionais. O festival conta ainda com 12 estreias internacionais, 2 europeias e dos 42 filmes portugueses 14 estão a competição.

A direcção do Doclisboa, constituída por Cíntia Gil e Augusto M. Seabra abriram a sessão de apresentação referindo-se às secções competitivas do festival, com especial enfoque na competição portuguesa, que mais uma vez revelou uma enorme vitalidade. Ainda sobre a produção nacional, destacaram a presença transversal de filmes portugueses em quase todas as secções do festival.

Cíntia Gil e Augusto M. Seabra, propuseram-se trazer à programação do festival o desafio de construir caminhos que permitam reconhecer, no encontro do passado e o presente, a imagem cinematográfica como matéria que traz uma uma cintilação de vida e uma força crítica que nos dão o vislumbre de horizontes.

Por questões históricas e de actualidade o Doclisboa 2014 contará com um programa especial intitulado de “O nosso Século XX – O Cinema face à História”,  que dará a conhecer numa sessão programada em conjunto com o Imperial War Museum de Londres German Concentrations Camps: A Factual Survey. O filme marca o reaparecimento, 70 anos após a 2ª Grande Guerra, das imagens feitas pelos Aliados da libertação dos campos de concentração. Neste programa serão também invocados quatro outros acontecimentos fulcrais na história do século XX, o centenário da 1ª Guerra Mundial, a revolução soviética, a queda do muro de Berlim e a guerra dos Balcãs.

A secção Riscos apresentará uma cópia restaurada pela Academy of Motion Pictures Arts and Sciences de The Pittsburgh Trilogy, de Stan Brackhage, uma das figuras mais importantes do cinema experimental do século XX.  No âmbito desta secção serão também exibidos filmes como My Seven Place, de Boris Lehman ou, do filipino Lav Diaz, Prologue to the Great Desaparecido e From What is Before, vencedor do Leopardo de Ouro da edição deste ano do festival de Locarno, Lav Diaz.

A secção Heart Beat terá um filme de abertura e pela primeira vez um filme de encerramento, e revela uma grande diversidade de géneros musicais bem como a presença de artes performativas, como o teatro e a dança. A título de exemplo, será exibida a cópia restaurada de BAAL, de Volker Schlöndorff, com a segunda peça de Bertold Brecht e com a esmagadora performance de Rainer Werner Fassbinder.

A secção Passagens foi apresentada por Emília Tavares, curadora da exposição “Gente da Terceira Classe – Fotografia e Realismos”, que terá lugar no Museu da Electricidade de 14 de Outubro a 4 de Janeiro. A exposição inclui obras de autores como Walker Evans ou Eugene Smith, dos neo-realistas italianos Federico Patellani, Fulvio Roiter e Franco Pinna, bem como fotografias de cariz humanista de autores portugueses como Victor Palla, Carlos Afonso Dias, Gérard Castello-Lopes, Sena da Silva, Adelino Lyon de Castro, Jorge Silva Araújo,  Augusto Cabrita, Varela Pécurto, Franciso Keil do Amaral, e os catalães Ramón Masats, Oriol Maspons ou Frances Català-Roca.

Relativamente à retrospectiva temática Neo-Realismo e Novos Realismos, destacou-se a apresentação, pela primeira vez em Portugal, do filme colectivo produzido em 1945, Giorni di Gloria, de Giuseppe de Santis, Mario Serandrei, Marcelo Pagliero e Luchino Visconti, num programa que apresentará filmes de 1943 a 2008, oriundos de diversos países. Com a parceria da Cinemateca Portuguesa, a segunda retrospectiva, já anunciada em Julho, será inteiramente dedicada ao trabalho do realizador holandês Johan van der Keuken, autor fundamental e de referência na história do documentário.

O festival vai estar presente em toda a cidade, da Culturgest ao Cinema City Campo Pequeno, do Cinema São Jorge à Cinemateca Portuguesa e ao Cinema Ideal, do Museu da Electricidade ao Cine-Teatro da Academia Almadense, da Galeria Palácio Galveias ao Lux Frágil.

O programa completo encontra-se disponível para consulta no site do Doclisboa, em www.doclisboa.org



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This