rdb_downshifters_header

Downshifters

DINHEIRO Vs. TEMPO

Um passeio em um iate no Oceano Atlântico? Um carro último modelo? O apartamento com vista privilegiada para o Tejo? Sair à noite nos VIP dos melhores clubes? Viagens para paraísos exóticos e reservas naturais? Gestor em uma das maiores empresas multinacionais? Estarias disposto a renunciar a isto e mais? Pensas que não existe uma pessoa no mundo capaz de deixar para trás tudo isso?…. Agora, deixa-me apresentar-te esta nova tribo urbana: os downshifters!

Sim, eu sei que os estás a imaginar como uma nova espécie na cadeia alimentar, ou que são os maiores falhados que se ouviu falar, ou que estão definitivamente mais loucos que uma cabra. Tu que só estudas para realizar esse sonho, que trabalhas mais que teu patrão para um dia tirares-lhe o lugar ou que passas dia e noite a criar a tua empresa, aquela que vai acabar com a tua pelintrice a ti e à tua família para viver num conto de fadas sem asas y reis sem castelo, mas cheios de poder, vida social e de luxo!

Da mesma maneira que os agora Downshifters fizeram no passado, renasce esta filosofia capaz de romper com o padrão de consumo das últimas décadas.

A palavra “Downshifter” vem do acto figurado de “desacelerar”, termino posto na cena no final dos anos‘50s, e depois usado para significar uma mudança no ritmo apressado e diário. Foram descobertos pela Trend Research Institute de Nova Iorque, registando uma percentagem crescente de pessoas que voluntariamente optaram por dar esse passo nas suas vidas. Esta tendência é uma evolução de anteriores movimentos como ” Voluntary Simplicity “, de Gandhi e os “Criativos Culturais” no E.U.A., dos quais na sua base filosófica encontra-se a antítese ao consumo.

Estes indivíduos, que vão entre os 30 a 50 anos, ocupavam os principais cargos em grandes empresas; contas bancárias invejáveis e um luxo maior do que a média da população; tiveram um colapso em suas vidas e decidiram renunciar a esse estilo de vida para tentar fazer as coisas que realmente sentem paixão como o trabalho que sempre sonharam, a partilha de mais tempo com a família e os amigos, desfrutar do lazer. Simplesmente cansaram-se do agitado dia de trabalho, com longas horas e limitações de tempo que possivelmente desencadearam problemas familiares.

Com o lema “o tempo é mais importante do que o dinheiro”, os Downshifters optam por um estilo de vida mais simples, com mais tempo para o lazer, mas sem ir ao extremo de distanciar-
-se da sociedade ou de crer-se auto-suficientes. Eles NÃO são ricos que optaram por ser pobres, preguiçosos e viver do amor e a paz. Não são Hippies, nem Greenies, nem vegetarianos; não se enganem, estas pessoas estão economicamente bem e seu futuro não está em risco; é uma questão de desistir de alguns bens considerados luxos, ganhar, em alguns casos, metade do seu antigo ordenado (que era elevado e muito superior aos outros trabalhadores), muitos deles mudam-se para cidades mais económicas e tranquilas, enquanto outros optam por trabalhar a partir de casa em negócios que sempre quiseram ter e também podem mudar os seus bens por uns mais modestos como o carro e a casa.

E até que ponto pode ser fácil desistir de uma luxuosa vida por outra mais modesta?

Muitos dos Downshifters sofrem desequilíbrios após a mudança, é que a adaptação à uma mudança radical não é fácil para ninguém. Por isso, chegam ao extremo de procurar ajuda e apoio entre eles, criando festivais para Downshifters, sites especializados no estilo de vida Downshifter: “fazer pouco e uma coisa de cada vez”; empregos, passatempos e muito mais. É uma categoria nascente de consumo que necessita de tratamento especial e que abre uma paleta de novas alternativas.

Quando te encontras com estas pessoas “Non-workholics “, que assumiram que nem tudo é a acumulação e festa do dinheiro, não te faz pensar que talvez não deverias estar 20 horas por dia a trabalhar em vez de gastar parte deste tempo no que gostas, ou pelo menos se vais a trabalhar essas 20 horas, que sejam a fazer o que gostas? Se já te convenceram ou pelo menos queres ver o que tão bom Downshifter pode ser, aqui estão algumas dicas para atingir esse objectivo:

Reduz a lista de coisas para fazer, escolhe o que é mais importante para ti, o que mais gostas de fazer e encontra espaço na tua vida para realizá-lo.

Reutiliza o espaço que criaste e faz uma lista de prioridades para reorganizar o teu tempo.

Recicla o tempo, faz uma coisa de cada vez, que seja de melhor qualidade do que quantidade.

Se ainda achas que primeiro desejas alcançar esse status perfeito para decidir se queres ou não renunciar a ele, lembra-te das pessoas à tua volta que estão à espera de um minuto do teu tempo para compartilhá-lo contigo. Em alguns aspectos, os Downshifters chegam no momento certo como modelos que servem para olhar para trás e nos perguntar quais são as nossas prioridades na vida e lembrar-nos que o dinheiro não pode comprar felicidade.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This