dq7_logo_en_lr

Dragon Quest VII: Fragments of the Forgotten Past | Análise

Um JRPG clássico remasterizado nas palmas das tuas mãos

Para uma das sagas mais antigas no género JRPG surge a remasterização de uma das suas mais adoradas entradas. Um clássico da PSOne chega agora à Nintendo 3DS e tem como nome Dragon Quest VII: Fragments of the Forgotten Past.

A maior diferença para aqueles que jogaram a versão original salta logo à vista. A versão da 3DS recebeu um novo tratamento visual, substituindo as velhinhas sprites em 2D por uma conversão completamente tridimensional de todo o jogo, dando lugar a alguns dos melhores modelos que já vimos em acção na consola portátil da Nintendo. A arte de Akira Toriyama, a mente brilhante por trás de Dragon Ball, não passa indiferente a ninguém e o 3D assenta-lhe bem na 3DS.

Dragon Quest VII: Fragments of the Forgotten Past começa a sua narrativa na pequena ilha de Estard, com o seu protagonista a acompanhar as escapadelas do príncipe Kiefer para fora do seu palácio, contrariando as ordens do rei. O primeiro par de horas deste JRPG não tem grande ritmo, mas tudo começa a ganhar contornos mais interessantes quando a verdadeira aventura começa e o protagonista, em conjunto com o príncipe de Estard e uma rapariga (Maribel), partem à descoberta de novas ilhas para além daquela que sempre conheceram. A narrativa envolve ainda viagens no tempo, com várias peripécias que agarram o jogador. À nossa espera estão cerca de uma centena de horas para completar quests, side-quests e dungeons. Pelo Rua de Baixo ainda não conseguimos aplicar tanto tempo assim em Dragon Quest VII: Fragments of the Forgotten Past mas aquele que por lá passámos foi sempre de qualidade.

À boa maneira JRPG, a narrativa vai-se desenvolvendo à medida que vamos interagindo com as personagens que vamos encontrando. Os diálogos surgem como texto que vamos passando, infelizmente sem qualquer tipo de voz adicionada ao jogo. À medida que vamos avançando, a nossa equipa de heróis vai resolvendo problemas em cada vila por onde passa, à medida que vai descobrindo fragmentos que são a solução para o futuro dramático de muitas delas. Apesar de parecer repetitivo, a jogabilidade vai introduzindo novidades em cada vila nova por onde passamos, tornando sempre tudo interessante.

O sistema de batalha funciona por turnos, como é habitual no género, sendo também comum na série a perspectiva na primeira pessoa sempre que decidimos que ataque vamos executar sobre os nossos inimigos. Do original da PSOne, foram retiradas as malfadadas batalhas aleatórias, oferecendo aos jogadores a liberdade de poderem decidir quando querem combater. Assim, os inimigos surgem pelo mapa e o jogador é livre de ir ter com eles ou de tentar evitar a batalha. Nesta nova versão na portátil da Nintendo foi ainda introduzido um mapa que está sempre presente no ecrã inferior da consola e que facilita a orientação dos jogadores em zonas onde tal seria mais complicado. Dragon Quest VII: Fragments of the Forgotten Past é um clássico com todas as mecânicas que nos fizeram gostar do género há duas décadas atrás e que beneficia ainda de uma excelente banda sonora.

Dragon Quest VII: Fragments of the Forgotten Past na Nintendo 3DS é um excelente regresso de um clássico para uma consola cuja biblioteca é cada vez mais uma referência no género JRPG e que, por sua vez, é já repleta de grandes títulos como Monster Hunter Generations, Bravely Second: End Layer ou Fire Emblem Fates (só para mencionar títulos que chegaram à Europa em 2016). Os fãs do estilo não ficarão indiferentes a todos os clichés que adoram e que tornam ainda Dragon Quest VII: Fragments of the Forgotten Past numa excelente experiência de jogo em 2016. Ao mesmo tempo, o novo e refrescado aspecto 3D permite que este clássico não pareça tão datado e, muito pelo contrário, torna-o num dos jogos mais bem conseguidos tecnicamente na Nintendo 3DS. Acompanhada por uma excelente banda sonora, a aventura demora a arrancar mas, quando acontece, torna-se cativante e quase impossível de colocar de parte. Para os amantes do género e da portabilidade das suas aventuras, Dragon Quest VII: Fragments of the Forgotten Past na Nintendo 3DS é um título incontornável, com quase uma centena de horas de entretenimento JRPG.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This