[Encontros] Paralelos

170 pessoas deram a cara para que a SIDA continue a ser um tema em debate. Em exposição até 9 de Abril no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra.

Dedico esta obra a todos os homens, mulheres e crianças que lutaram e continuam a lutar com coragem contra todas as doenças em geral e particularmente contra este flagelo que se chama SIDA e que nos apunhala no coração da palavra Amor.

Jean-Pierre Debot

O flagelo da SIDA não é estranho a ninguém. No entanto, e apesar da informação ser hoje em dia mais que muita, o nível de interesse ou preocupação que as pessoas lhe dedicam é assustadoramente pequeno. Há, apesar disso, pessoas que se dedicam a alertar consciências. Daqui resulta a exposição [Encontros] Paralelos, de Jean-Pierre Debot, em exposição até dia 9 de Abril no Foyer Superior do Auditório Jorge Sampaio, no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra.

Durante quatro anos, Jean-Pierre reuniu-se com cerca de 170 personalidades ligadas a várias áreas da sociedade portuguesa, desde as artes à cultura, passando pela ciência e comunicação social. Daqui resultou um trabalho artístico, editado no dia Mundial de Luta Contra a SIDA, dia 1 de Dezembro de 2001, na Cordoaria Nacional pela Oficina do Livro e apadrinhado por Maria Barroso Soares, que consistia em pequenos depoimentos sob a forma de textos, desenhos, pinturas e banda desenhada, naquela que é uma pequena reflexão de cada um sobre o tema.

Jean-Pierre Debot nasceu a 7 de Outubro de 1963 em Liège, Bélgica. Em 1990 chega a Portugal para exercer a função de Agente Informático Bancário, depois de ter frequentado um curso de fotografia e de Comércio e Relações Internacionais. Cinco anos depois torna-se freelancer e procura realizar uma intervenção social através desta obra continuando a trabalhar na área da informática bancária. Em 1997 dá início a estes Encontros Paralelos para “contribuir para algo que afecta toda a humanidade; é por esta razão que tentei deixar de ser única e exclusivamente um espectador passivo da vida”.

O livro, disponível para venda durante a exposição, pretende assim ser um meio alternativo de luta e prevenção da doença, mas também uma forma de reflexão. Todas as receitas provenientes dos direitos de autor e editor revertem para a Liga Portuguesa Contra a SIDA.

A entrada para a exposição é gratuita entre terça e sexta-feira das 14 às 18 horas. Também aos Sábados, Domingos e feriados das 10 às 13 horas e das 14 às 18. Até 9 de Abril no Foyer Superior do Auditório Jorge Sampaio, no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This