DSCF3521_Enseada_FB©Filipe Ferreira

“ENSEADA”

Um coprodução TNDM II e Centro Cultural Vila Flor com a interpretação de Élvio Camacho, Márcia Lança e Marta Félix, para ver na Sala Estúdio até dia 15 de Dezembro.

Depois da estreia no Festival Gil Vicente, em Guimarães, chega agora ao Teatro Nacional D. Maria II o novo espetáculo de Miguel Castro Caldas – Enseada – que aborda a possibilidade de duas pessoas se entenderem através do diálogo. Aparentemente um tema que parece simples, acaba por se tornar complexo na psique humana, que cria distâncias e barreiras como forma de defesa perante a proximidade do outro.

As paredes do cenário servem de metáfora para essas barreiras, que vão sendo manipuladas pelos intérpretes ao longo do espetáculo na procura de novos espaços. Tanto servem de obstáculo ao diálogo como de motivo para que haja diálogo. Neste sentido, servem também para ilustrar a influência da relação entre duas pessoas na alteração do espaço em que se encontram. E quando chega mais uma pessoa, a relação entre as duas pessoas muda e com isso, consequentemente, o espaço sofre mudanças.

Há uma necessidade de marcar distâncias entre as personagens não só através do espaço cénico, mas também do movimento e do olhar dos atores, com o intuito de demarcar os diferentes planos em que cada um se encontra. E para que esses planos se cruzem isto é, para que haja entendimento, é preciso que ambos encontrem a necessidade de se entenderem.

O próprio nome do espetáculo tem o nome de um espaço em que se pode encontrar conforto, significa “pequeno porto de abrigo”. E um pouco de conforto é aquilo que é possível encontrarmos nos outros quando derrubamos as nossas barreiras.

Um coprodução TNDM II e Centro Cultural Vila Flor com a interpretação de Élvio Camacho, Márcia Lança e Marta Félix, para ver na Sala Estúdio até dia 15 de Dezembro.

FICHA TÉCNICA

direção e texto Miguel Castro Caldas

criação Élvio Camacho, Filipe Pinto, João Caldas, Márcia Lança, Marta Félix e Miguel Castro Caldas

com Élvio Camacho, Márcia Lança e Marta Félix

música João Caldas

espaço cénico Sara Franqueira

efeitos especiais Nuno Tomás

figurinos Marta Félix luz Cristóvão Cunha

assistência de cenografia Joana Sabogueiro

apoio à dramaturgia Ana Matoso

produção executiva Diana Almeida

residências Materiais Diversos e CCVF

produção Org.i.a

coprodução TNDM II, Centro Cultural Vila Flor

 

 M/12 duração

1h

 

Projeto financiado pela República Portuguesa – Cultura / DGArtes.

Espetáculo estreado a 7 de junho de 2019, no Festival Gil Vicente, em Guimarães.



Também poderás gostar


There are no comments

Add yours

Pin It on Pinterest

Share This