Meital Dohan

Entrevista com Meital Dohan

Estivemos à conversa com a atriz israelita Meital Dohan, que esteve de passagem por Portugal para as gravações de "Cabaret Maxime", de Bruno de Almeida.

Meital Dohan é uma atriz israelita, mais conhecida pela sua participação em alguns filmes e séries, como a série americana Weeds, e que esteve de passagem por Portugal para as gravações de Cabaret Maxime do realizador Bruno de Almeida.

Cabaret Maxime promete ter momentos de música, burlesque , strippers e muito mais. Dohan irá interpretar o papel dela mesma e com um tigre real , um papel que reflete a sua vida real e o modo como ela vive com seu tigre de estimação “Charlie” em Hollywood Hills. Em entrevista à atriz, ficámos a saber mais sobre a sua relação com a representação e com a música.

91-4

Quando é que descobriste que querias ser atriz?

Meital Dohan: Eu fui uma criança muito tímida mas sempre adorei estar em frente a um público e ter que ser muito séria em relação a qualquer apresentação que eu tinha que fazer. Isto desde o meu 6.º ano. Mais tarde descobri a representação como um meio para me expressar. Só quando fiz desassete anos é que descobri que isso era, provavelmente, a maior paixão da minha vida.

Qual é a tua relação com a interpretação? Ou seja, como é estar em palco, atrás das câmaras e interpretar as personagens dos guiões?

MD: Para mim , a interpretação é mais sobre ir até ao núcleo das emoções, do mundo, dos sonhos e dos medos do personagem. No entanto, eu gosto sempre de encontrar, se possível, a mensagem social que se encontra no projeto e, portanto, o papel que a minha personagem terá em expressar essa mensagem.

Usas algum tipo de truques de linguagem? Como lidas com isso?

MD: Eu exercito muito na cama com o meu parceiro sexual para ampliar e praticar as minhas habilidades com a mandíbula.  É claro que há muito trabalho no que toca ao aperfeiçoar uma língua nova. Então, misturo trabalho com prazer e pratico tudo ao mesmo tempo.

Será que nos podes contar sobre a tua passagem por Portugal, sobre o teu papel em Cabaret Maxime? O teu papel foi de ti mesma, certo?

MD: Antes de mais, tenho que dizer a todos os meus amigos e fãs de Lisboa que adorei a cidade. Desde que vi o filme Lisbon Story, do Wim Wenders, que fiquei logo apaixonada e as minhas expectativas não falharam. O trabalho com o Bruno Almeida, um ótimo diretor e amigo que adorei, com o Johnny Ventimiglia, meu querido amigo e um antigo colaborador, e com o Michael Imperioli que aprecio e com quem trabalhei anteriormente… Fizeram-me sentir num sonho. E sim, fiz de mim própria. Não é só o papel mais interessante que se pode ter?

Foi a tua primeira visita a Portugal. Gostarias de voltar?

MD: Foi a primeira, mas não será a última. Até me mudava… por causa do tanto que gostei. Obrigado Lisboa! Queria aproveitar para dizer que conheci um nova e ótima colaboradora, a sensacional Miss Suzie.

Também és cantora. Qual é a tua relação com a música? Como é que começaste?

MD: Eu estive em Israel há uns anos atrás, onde fiz parte de uma produção de dança com outras estrelas, quando a minha guia espiritual me disse que eu ia fazer música. Eu pensei que ela não estava muito bem e discuti com ela sobre isso. No entanto, quando voltei a LA o mundo da música prendeu-me. E ainda estou presa.

“Yummy Boyz” tornou-se um video viral. Como é que reagiste a isso? Alguma vez esperaste que isso acontecesse?

MD: A resposta que recebi enquanto cantora que só lançou oficialmente três músicas foi além de qualquer expectativa. Estou muito grata por isso. Uma coisa que eu quero deixar claro, eu não quero autoproclamar-me clarividente mas vê o momento no vídeo onde eu mostro Obama a capturar o Bin Laden. Eu previ 5 meses antes de acontecer (vídeo lançado em Junho de 2011 mas o remake em dezembro de 2010). Fico feliz por ter ajudado na segurança de casa.

Gostarias de participar num musical algum dia?

MD: Por acaso no meu país de origem fizémos uma performance de cabaré com Ivri Lider, uma cantora israelita muito conhecida.

Como é que lidas com a fama? O que é para ti seres uma celebridade internacional?

MD: A fama é engraçada porque tu apenas te habituas a isso e torna-se invisível para mim, como um indivíduo. Eu realmente aprecio a minha privacidade e sempre encontro tempo para mim mesma, para os meus amigos e para a minha família. A fama é apenas o que as outras pessoas vêem, mas não é algo que eu tenha deixado realmente tomar conta do meu quotidiano.

E sobre o futuro? Será que nos podes revelar algo sobre novos projetos?

MD: Eu estou muito entusiasmada em anunciar que a minha quarta música e o meu quarto vídeo musical que serão lançado em breve. e espero que vocês gostem!

 

114-4

Fotos de Henry Diltz



Também poderás gostar


There are no comments

Add yours

Pin It on Pinterest

Share This