Ep.2 O Tempo e o Modo | Entrevista a Laurie Anderson | Quinta, às 23h30, na RTP2

Nasceu em Chicago, em 1947. Nas instalações que realiza, cruza vários media: música, vídeo, fotografia, escultura e pintura unidos por narrativas suas. Nas décadas de oitenta e noventa foi percursora da música eletrónica contemporânea. Em 2010 lança o álbum Homeland.

Nas palavras de Laurie Anderson, somos capazes de dar forma, de desenhar, não apenas as coisas à nossa volta, mas também a nossa própria identidade, a nossa personalidade. A tecnologia é um mero instrumento – tal como o lápis – para desenhar o mundo, e permite-nos avaliar a nossa capacidade enquanto indivíduos de ação. Esta realidade leva-nos a duas situações: por um lado, somos capazes de determinar a nossa própria existência; por outro somos constantemente limitados pela forma como desenhámos o mundo e a vida. Este desenho é certamente condicionado por fatores externos e obedece a categorias que nos fazem pensar o mundo de forma subjetiva e fechada.

Deste modo, tornamo-nos ignorantes e criamos uma linguagem e uma cultura que não nos permitem equacionar realidades – como a pobreza ou a guerra – para além daquelas que encontramos no perímetro onde nos movemos. Laurie Anderson fala-nos também das consequências da atual crise financeira e da forma como os movimentos sociais, que daí emergiram, permitem voltar a questionar a narrativa dominante da cultura Americana.

o tempo e o modo

Tempo e o Modo convida onze personalidades de geografias e quadrantes sociais diversos para, em conversas de 30 minutos, refletirem sobre o mundo e o futuro. Trata-se de um retrato a várias vozes da realidade contemporânea que revela as relações profundas existentes entre os nossos modelos de pensamento e as suas consequências nos dias de hoje — para o indivíduo, para a vida e para o planeta. Uma prova singular de que existe atualmente uma premente interrogação acerca do nosso futuro comum, baseada simultaneamente na aceleração dos fenómenos humanos, naturais e tecnológicos, mas também na inoperabilidade dos nossos modelos de interpretação e de ação sobre o mundo. Uma série que cruza dúvidas e perplexidades comuns com o estimulante pensamento de algumas das mais interessantes personalidades dos nossos tempos.

Realização de Graça Castanheira

Co-produção pop filmes | couture para a RTP2



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This