Fantasporto 2004 – Reportagem & Vencedores

Quase um quarto de século depois, o tão aguardado apoio por parte do Estado chegou.

O anúncio foi feito por Morais Sarmento no encerramento do certame. O tão aguardado apoio por parte do Estado ao FantasPorto chegou. A próxima edição será certamente (ainda) melhor que esta.

A ruadebaixo esteve lá e, apesar de não ter assistido a todo o festival, pude constatar que este não é um festival que passe despercebido. Nem aos habitantes da cidade onde se realiza, nem a todo o País ou fora dele. A prová-lo, estão os mais de 100 mil espectadores deste ano.

Este começa a ser o verdadeiro evento de culto. Há todo um misticismo à sua volta e as pessoas acorrem às exibições como se fossem concertos, literalmente. Assistem a toda a sessão com uma atenção enorme, com aplausos às melhores cenas e uma ovação no final dos filmes. Do que vi, gostei particularmente de um filme espanhol chamado “800 balas”, que me veio confirmar a ideia que já tinha de que Espanha está-se a tornar a Hollywood Europeia, a par da indústria cinematográfica francesa.

Quanto ao Festival, pouco mais há dizer, a organização é estupenda e a sua divulgação já ultrapassa largamente as fronteiras nacionais.  O local escolhido para a realização do evento não podia ser melhor. Para além de toda a história que envolve o Rivoli, este espaço reúne, além das salas onde são exibidas as películas, um café-concerto e um bar-livraria. O local ideal para uma noite bem passada.

Ficaremos a aguardar pela próxima edição na esperança que seja ainda melhor que esta. Serão as bodas de prata de um festival que, além de passar belíssimos filmes durante duas semanas, ajuda a pôr um pouco de Portugal no mapa mundial.

A opinião de Pedro Marques:

“A minha experiência na edição deste ano do Fantasporto, embora curta, revelou-se bastante enriquecedora, principalmente no que diz respeito à atitude interventiva que os habitantes da cidade do Porto têm no apoio ao festival.

A mensagem da importância do evento para a cidade do Porto é assimilada por todos aqueles que gostam de cinema e não só. Nos dois dias em que tive oportunidade de assitir às projecções de filmes no Teatro Rivoli (o local ideal para a realização de um evento desta dimensão), as sessões estavam completamente cheias ou perto disso.

Se no primeiro dia podia pensar que a enchente se devia a este ser o dia de abertura e o filme escolhido (Northfork) ser uma estreia mundial, no dia seguinte a presença de centenas de pessoas no festival excedeu todas as minhas expectativas. Mas não foi só a presença das pessoas que me surpreendeu pela positiva. A sua atitude activa no visionamento das películas, desde o simples riso aos grandes aplausos, mostram o verdadeiro interesse do público na obra que estão a visionar, fazendo assim parte do espectáculo e valorizando-o ainda mais.

Embora os dias que relato nestas linhas tenham sido dois dos mais fortes no que diz respeito à programação global e mesmo aceitando a hipótese que, durante os dias da semana, a audiência tenha sofrido uma quebra, penso que é através de uma resposta activa como esta que a cultura e os eventos conseguem existir e crescer. Não basta apoiar com palavras e depois continuar sentado no sofá a ver o jogo do campeonato alemão da segunda divisão, nem ir para uma peça de teatro chateado e contrariado porque vai perder a novela da noite, sendo apenas mais um carneiro no meio do rebanho. A vontade e o interesse são fundamentais para o desenvolvimento cultural da nossa sociedade. Sem estas duas capacidades, nunca iremos sair do marasmo em que estamos mergulhados.

Que o público do Fantas sirva de exemplo a todos aqueles que dizem que acreditam e que depois não fazem nada para apoiar. Interpretem estas linhas como um aviso e uma tentativa de motivação para que haja finalmente muito mais acção. ”

Resta-nos deixar-vos aqui os resultados da 24ª edição do FantasPorto:

SECÇÃO OFICIAL CINEMA FANTÁSTICO

GRANDE PRÉMIO: A TALE OF TWO SISTERS (Kim Jee-Woon) / Coreia

PRÉMIO ESPECIAL DO JURI: KILLING WORDS (Laura Maña) / Espanha

MENÇÃO ESPECIAL: LA FIN DE NOTRE AMOUR (Heléne and Bruno Forzani) / Bélgica

MELHOR REALIZAÇÃO: Kim Jee-Woon (A Tale of Two Sisters) / Coreia

MELHOR ACTOR: DARIO GRANDINETTI (Killing Words) / Espanha

MELHOR ACTRIZ: IM SOO-JUNG (A Tale of Two Sisters) / Coreia

MELHOR ARGUMENTO: Ex-aequo Fernando de Felipe e Jordi Galcerán (Killing Words) Espanha / HUBERT SELBY JR. e NICHOLAS WINDING REFN (Fear X) Dinamarca

MELHORES EFEITOS VISUAIS: MICHAEL O¹BRIEN and WAYNE TOTH (House of the 1000 Corpses) / EUA

MELHOR CURTA-METRAGEM: I¹LL SEE YOU IN MY DREAMS Miguel Angel Vivas / Portugal

GRANDE PRÉMIO PRÉMIO SEMANA DOS REALIZADORES FANTASPORTO 2004: THE GREEN BUTCHERS by Anders Thomas Jensen / Dinamarca

PRÉMIO ESPECIAL DO JURI: EL OTRO LADO DE LA CAMA by Emilio Martinez Lazaro / Espanha

MELHOR REALIZADOR: Anders Thomas Jensen (The Green Butchers) / Dinamarca

MELHOR ACTOR: Mads Mikkelsen (The Green Butchers) / Dinamarca

MELHOR ACTRIZ: RACHAEL BLAKE (Perfect Strangers) / N. Zelândia

MELHOR ARGUMENTO: DAVID SERRANO (El Otro Lado de la Cama)/ Espanha

GRANDE PRÉMIO ORIENT EXPRESS: ACACIA (Park Ki-hyeong) / Coreia

PREMIO ESPECIAL DO JURI ORIENT EXPRESS: A TALE OF TWO SISTERS: Kim Jee-Woon / Coreia

MÉLIÈS D¹ARGENT: KILLING WORDS Laura Maña / Espanha

MÉLIÈS: I¹LL SEE YOU IN MY DREAMS Miguel Angel Vivas / Portugal

HOMENAGEM: Julio Fernandez, presidente da Filmax pelos 50 anos desta produtora espanhola.

O Juri da Critica do Fantasporto´2004 decidiu atribuir o prémio a: THE LAST HORROR MOVIE (Julian Richards) (GB)

O Júri de Audiência/Premio JN do Fantasporto´2004 decidiu atribuir o seguinte prémio a: SEE GRACE FLY- Pete McCormack (Canadá).



Também poderás gostar


There are no comments

Add yours

Pin It on Pinterest

Share This