Festival Bluespot

A sétima edição do festival regressa ao Porto.

A sétima edição do Festival Blue Spot, festival de artes multimédia e música electrónica, vai realizar-se a 11 de Dezembro no edifício da Alfândega do Porto.

Logo à partida nota-se aqui uma alteração neste certame: realiza-se apenas num dia, ao contrário das outras edições. O cartaz é também significativamente mais curto, contando com oito actuações contras as catorze do ano passado. Mas não há que desanimar ainda porque as propostas apresentadas merecem uma passagem pelo Porto no dia 11.

Os cabeça-de-cartaz são os belgas Soulwax, dos irmãos Dewaele, e o seu projecto paralelo 2 Many DJ’s (ver artigos relacionados), e ainda o alemão Rainer Trüby. O cartaz engloba ainda as actuações de Nicola Conte, Queens of Noize, os portugueses X-Wife, 1-Uik Project DJ Set e U-M com Global Vibes.

Rainer Trüby é o DJ favorito de gurus como Gilles Peterson, LTJ Bukem e Peter Kruder. Antigo membro dos A Forest Mighty Black, Rainer traz agora luz ao meio electrónico com o seu Trüby Trio, uma colaboração entre o DJ, Christian Prommer e Rolan Appel. A sua fusão de ritmos brasileiros e batidas modernas também caracterizam os seus remixes feitos para a Peace Orchestra, Mr. Gone, Yasushi Ide, Nitin Sawhney, Bobby Matos e Frederic Galliano.

Também internacionalmente reconhecido como DJ, Rainer conseguiu ganhar o respeito de todo o meio musical. O seu trabalho concentra-se normalmente na Grã-Bretanha, actuando em clubes de renome como o Blue Note, o Bar Rumba ou o Brighton Jazz Bop, entre outros. Quando não está no Reino Unido ou em qualquer outro canto do mundo, podemos encontrá-lo detrás dos discos no seu clube, o Root Down, em Freiburg, na Alemanha, cruzando os ritmos retro e future jazz, funky beats, jazzy house, música brasileira, boogie tune e drum ‘n’ bass.

Um dos pilares básicos da Compost records, a editora de Michael Reinboth, que inclui no seu catálogo discos assinados por gente como Jazzanova, Minus 8, Kyoto Jazz Massive, Beanfield e Fauna Flash, assumiu na década de 90 um papel cimeiro na criação e divulgação de novos horizontes para a electrónica feita na Europa. A fusão é o conceito mais caro a Rainer Trüby, ficando isso mesmo espelhado nas compilações Glücklich realizadas para a Compost.

As estreantes por terras lusas, Queens of Noize, desde cedo granjearam uma enorme reputação, tornando-se nas meninas bonitas da cena indie, actuando como banda de suporte nas digressões de nomes como Pink, The Libertines, The Scissor Sisters e Junior Senior.

Com as suas extensas e regulares sessões nocturnas em clubes frequentados por Kate Moss, Har Mar Superstar, White Stripes e Razorlight, as Queens construíram uma imagem a ser levada muito em conta no mundo da música. O primeiro single da dupla Indie Boys Don’t Deserve It verá a luz dia em Janeiro de 2005, mas não temos de esperar muito tempo, porque estarão entre nós no Blue Spot.

Reduzido este ano a apenas um dia, o Festival Blue Spot teve a primeira edição em 1997, assumindo-se como um evento que encara as artes multimédia e a música electrónica como uma reconhecida manifestação de arte e cultura e uma linguagem artística universal contemporânea., apresentando ao vivo nomes como Amon Tobin, Sofa Surfers, Goldie, Rinôçérôse, Jazzanova, Scratch Perverts, Peaches e Ursula Rucker, entre muitos outros.

Os bilhetes já estão à venda e custam entre 20 (compra antecipada) e 25 euros (no próprio dia).



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This