Festival Materiais Diversos

Na sua 4ª edição, o Festival Materiais Diversos faz escala no Brasil. De 14 a 29 de Setembro, 13 criadores portugueses e 9 criadores brasileiros trazem o corpo, o movimento, a dramaturgia e a música a Alcanena, Minde e Torres Novas, num total de 15 projectos. No Ano de Portugal no Brasil/Brasil em Portugal, o Festival Materiais Diversos fala de outros ‘números’.

PALCO

As máquinas de costura fazem parte do concerto coreográfico, lugar indefinido, que é o paraíso de Marlene Monteiro Freitas – a antestreia de PARAÍSO – Colecção Privada abre o festival a 14 de Setembro, em Minde. Os coreógrafos brasileiros Cristian Duarte, Denise Stutz e Ângelo Madureira & Ana Catarina Vieira estreiam em Portugal os seus mais recentes trabalhos.

São 100 os coreógrafos que Cristian evoca no seu solo caleidoscópio que viaja pela história da dança contemporânea do último século (HOT 100 – The hot one hundred choreographers – 21.09 Blackbox CAORG/Minde). A dupla Ângelo Madureira & Ana Catarina Vieira também trabalha a memória a partir de 1800 fotografias dos seus trabalhos em Baseado em Fatos Reais (22.09 Teatro Virgínia/Torres Novas). Denise apresenta com particular entrega e emoção a sua própria história da dança (3 solos em 1 tempo – 23.09 Blackbox CAORG/Minde), e partilha a tarde com Sofia Dias & Vítor Roriz – os novos artistas associados da Materiais Diversos fecham a programação de dança do festival com o trabalho que estrearam a 1 de Junho no Festival alkantara, Fora de qualquer presente.

No último dia do festival, a população local reúne-se em palco e na sua diversidade de profissões forma o Atlas de Ana Borralho & João Galante (29.09, Teatro Virgínia/Torres Novas), nos outros sábados espreita o corpo de Ana Rita Teodoro que escorre no centro histórico de Minde (MelTe, 15+22.09 Alto do Pina/Minde). Martim Pedroso transforma rancheiros, estudantes de sevilhanas e músicos da fanfarra dos bombeiros no coro de Amazonas e Gregos na sua versão da Penthesilea de Kleist (Penthesilia, dança solitária para uma heroína apaixonada – 21.09 Cine Teatro S. Pedro/Alcanena). Depois de participarem no Manual de Instruções de Victor Hugo Pontes na edição de 2010 do festival, criaram o grupo Poetas do Movimento e voltam ao Cine Teatro com Branca de Neve (26+27.09 Cine Teatro S. Pedro/Alcanena).

A programação de teatro traz também dois nomes sonantes da nova dramaturgia brasileira – Felipe Rocha e Alex Casal apresentam Ninguém falou que seria fácil (28.09 Cine Teatro S. Pedro/Alcanena) com o humor, a ironia e os jogos de linguagem característicos dos textos de Felipe Rocha. Em Dulce (16.09 Blackbox CAORG/Minde), os encenadores e intérpretes brasileiros e portugueses Flávia Gusmão, Michel Blois, Nuno Gil e Thiare Maia são dois casais que exploram a ténue barreira entre a diferença e a semelhança cultural dos dois países.

Em 2012, o Festival Materiais Diversos volta ao mês de Setembro, ao calor, às actividades fora de portas. O jardim do Museu de Aguarela Roque Gameiro (Minde), o Coreto de Minde e a Praça 5 de Outubro (Torres Novas) acolhem 4 concertos ao ar livre. Os projectos Miuda A2 (versão acústica d’ A Miuda) e Noiserv transformam o jardim do museu na sala de estar íntima, doce e minimalista de Minde nas noites de 16 e 22 de Setembro. Também no dia 16, na praça central de Torres Novas, o acordeonista Marcelo Caldi mergulha na cultura do nordeste brasileiro numa homenagem ao compositor e acordeonista Luiz Gonzaga. Nice Weather for Ducks fecham a programação do festival em grande festa no Coreto de Minde.

FORA DE PALCO

Entre o Polje de Minde, no Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros, e a antiga Grafiminde são várias as propostas de actividades nos sábados e domingos do festival para relaxar (Aulas de Consciência Corporal e Massagens no Parque), conversar estendido numa manta com os artistas do festival (Piqueniques com Artistas) e recarregar a energia dispendida na pista de dança do Ponto de Encontro nas noites anteriores (Graphic Nights com 7 DJ’s).

Haverá ainda espaço para conversar e debater ideias entre graúdos, com  as Mesas Rectangulares, e míudos  – Quando eu for grande quero ser… produtor, com Sofia Campos, e encenador, com Martim Pedroso.

Na abertura do Ano de Portugal no Brasil/Brasil em Portugal 2012/13, a ‘rectangular’ discussão sobre estratégias para a cooperação entre Portugal e Brasil (24.09 – Cine Teatro S. Pedro/Alcanena). A REDE/Associação de estruturas para a dança contemporânea reúne os contributos dos profissionais do sector para uma enriquecedora e esclarecedora conversa sobre o ‘festival’ enquanto veículo cultural (15.09 – Museu de Aguarela Roque Gameiro). Uma tarde de reflexão para a Associação Minde Cultural, enquanto motor cultural da região (23.09 – Museu de Aguarela Roque Gameiro).

BILHETEIRA

A bilheteira central do festival, no Ponto de Encontro (Minde), abre ao público a 31 de Agosto. O horário de funcionamento será de terça a domingo, no horário das 15h às 20h.

Para cada espectáculo, um bilhete regular custa 6,00€ – à excepção dos concertos Miuda A2/Noiserv (3,00€) e Marcelo Caldi/Nice Weather For Ducks (entrada livre). Está previsto o desconto de 50% para menores de 18 anos, maiores de 65 anos e profissionais do espectáculo (excepto espectáculos no Teatro Virgínia).

A novidade deste ano é o PASSE FIM-DE-SEMANA: 17,00€ dão acesso a toda a programação PALCO de sexta a domingo. É ainda possível adquirir PASSE TOTAL para a programação PALCO (45,00€) ou PASSE 5 ESPECTÁCULOS (25,00€).



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This