Festival Músicas do Mundo

O maior festival de world music do país tem lugar em Sines entre 28 e 30 de Julho.

Já é uma instituição. O FMM conseguiu, durante as últimas edições, captar a atenção de um grande número de pessoas, que possivelmente não se sentiam atraídas para este tipo de sonoridades, mas que descobriram os encantos, a musicalidade e algum misticismo que a dita world music proporciona. A edição deste ano, a sétima, promete ser a melhor de sempre e realiza-se entre os dias 28 e 30 de Julho em Sines, tendo mais uma vez como palco principal o lindíssimo castelo.

Para além da importância para a divulgação deste género musical, a existência deste festival é uma mais valia para a cidade e para o desenvolvimento cultural daquela região que parece esquecida durante todo o ano. Embora a costa alentejana (Porto Covo, V.N.Milfontes, Zambujeira) seja bastante requisitada devido às suas extraordinárias praias, pouco acontece a nível cultural (excluindo o festival do Sudoeste) nas centenas de quilómetros de costa que vão desde a península de Setúbal até à ponta de Sagres.

A organização do FMM sabe disto e por isso tem-se esforçado para que tudo corra bem, através de uma excelente divulgação e prestação de serviços, especialmente o cuidado website que nos dá todas as informações necessárias para desfrutarmos de um grande fim-de-semana.

Embora o castelo de Sines seja o local onde vão ter lugar o maior número de actuações, o festival estende-se também a outros locais: Capela da Misericórdia, Avenida Vasco da Gama (ou da Praia), Largo Marquês de Pombal (Porto Covo). Apenas é paga a entrada no castelo que custa 5 euros.

A programação deste ano é representativa do crescimento do festival. Seria praticamente impossível e exaustivo, estarmos aqui a dissecar todos os artistas que estarão presentes no cartaz deste ano do festival, por isso vamos apenas referenciar alguns nomes que para nós merecem destaque.

No primeiro dia de festival, 28 de Julho, quinta-feira, o FMM vai ser palco de uma união inédita em palco. Depois de uma pequena experiência entre Cristina Branco e a Brigada Vítor Jara na edição do ano passado, desta vez surge ainda a presença dos Segue-me à Capela, para um espectáculo “a três”, em que se cruza o fado, polifonia, folclore português, ritmos africanos e latino-americanos, sempre na fronteira entre tradição e contemporaneidade.

No mesmo dia, e directamente do Mali (um dos países africanos mais bem representados na world music), surgem Amadou e Mariam. Irmãos de sangue e companheiros na música, este duo africano trata o funk e a soul de uma forma única e disco “Dimanche a Bamako” tem sido um dos preferidos pelos amantes de world music nos últimos tempos.

O brasileiro que Miles Davis considerou o músico mais completo com quem trabalhou vem também ao certame. Multi-instrumentista capaz de extrair música de qualquer objecto, o “mago dos sons” Hermeto Pascoal, que actua no castelo de Sines dia 29 de Julho (sexta-feira), é considerado a maior figura da música instrumental brasileira e um dos maiores génios da música mundial, capaz de unir sem comissuras o forró e o jazz. Um concerto imperdível.

A fechar as actuações ao vivo, no Sábado, dia 30 de Julho, vão estar os congoleses Konono n.º 1. Com likembés electrificados artesanalmente, lixo convertido em percussões e megafones a substituir sistemas de som, esta banda congolesa inventou uma música de dança imparável e cheia de distorções com a capacidade de inovação do melhor rock experimental e música electrónica. O espectáculo tem lugar na Avenida da Praia em Sines e promete fechar o festival em grande euforia e festa.

Mas nem só de concertos se faz o FMM. Durante todo o mês de Julho estão abertas ao público duas exposições de fotografia, uma do japonês Koh Okabe e uma outra do português Mário Filipe Pires. Na semana que antecede o fim-de-semana de festival vão ser exibidos diversos documentários na Capela da Misericórdia e durante os três dias de festa decorrem sessões de DJ pós-concertos, com a presença de Raquel Bulha (Antena 3), Luís Reis (Crónicas da Terra), Vítor Junqueira (Juramento sem bandeira) e Mário Dias (TSF).

Fiquem com o programa de actuações ao vivo. Para todas as informações sobre as bandas e artistas, passem pela página do festival.

28 de Julho – Quinta-Feira

19:00 – 34 Puñaladas – Argentina – Porto Covo
21:00 – Cristina Branco + Brigada Victor Jara + Segue-me à Capela – Portugal – Castelo
22h45 – Ljiljana Buttler & Mostar Sevdah Reunion – Bósnia-Herzegovina – Castelo
00h15 – Amadou & Mariam – Mali – Castelo
02h15 – Mahala Raï Banda – Roménia – Avenida da Praia

29 de Julho – Sexta-Feira

18h30 – Lula Pena – Portugal – Capela da Misericórdia
21h30 – Marc Ribot & The Young Philadelphians – EUA – Castelo
23h00 – Astrid Hadad – México – Castelo
00h30 – Hermeto Pascoal – Brasil – Castelo
02h30 – Ba Cissoko – Guiné Conakri – Avenida da Praia

30 de Julho – Sábado

19h00 – Samurai 4 – Japão – Avenida da Praia
21h30 – The Master Musicians of Jajouka – Marrocos – Castelo
23h00 – KTU – Finlândia/EUA – Castelo
00h30 – Kíla – Irlanda – Castelo
02h30 – Konono n.º 1 – Congo – Avenida da Praia



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This