FESTIVAL NOVO JORNALISMO ARRANCA AMANHÃ EM SANTO TIRSO

A Câmara Municipal de Santo Tirso vai promover, a partir de amanhã, sexta-feira e durante o dia de sábado, a primeira edição do Festival Novo Jornalismo, uma iniciativa com vista a debater os temas sobre o futuro dos media, os riscos da não ficção, a ética e a revolução digital. “Acredito que esta é uma oportunidade de Santo Tirso entrar na ronda dos grandes eventos culturais nacionais e internacionais, fazendo do Município um local de paragem obrigatória para os fãs da não ficção”, realça o presidente da autarquia, Joaquim Couto, considerando que, no campo cultural, “uma Câmara Municipal não se deve divorciar do seu papel orientado e promotor de ações de interesse garantido para a comunidade”.

Neste contexto, as escolas foram envolvidas neste festival. Fernando Alvim e Jorge Oliveira da Silva, jornalista da RTP, irão estar nas escolas secundárias D. Dinis, Tomaz Pelayo, D. Afonso Henriques e no Instituto Nun’Alvres para falar das suas experiências profissionais. “Esta é, sem dúvida, uma maneira de sensibilizarmos os mais novos para a área das letras, garantindo por um lado leitores mais exigentes e, por outro, cidadãos mais informados”, explicou Joaquim Couto.

O Festival Novo Jornalismo é ainda uma oportunidade de chamar grandes nomes do jornalismo e da literatura ao Município. Com esta iniciativa, segundo o presidente da Câmara de Santo Tirso, “quisemos envolver também vários agentes locais, com a certeza de que a atividade cultural de um Município é também geradora de uma dinamização da economia local, nomeadamente do ponto de vista turístico”.

O presidente da Câmara Municipal abrirá o festival amanhã, dia 24, pelas 21h30, seguindo-se a intervenção do jornalista Joaquim Furtado figura incontornável do panorama jornalístico português. Profissional de rádio e televisão, Joaquim Furtado foi diretor-coordenador das áreas de Informação e Programação da RTP e é autor da série documental A Guerra, a mais completa investigação sobre a guerra colonial portuguesa.

No sábado, às 14h30, Joaquim Vieira, Miguel Pinheiro e Rui Ramos debaterão a questão das “Biografias não autorizadas”. Logo depois, pelas 15h45, Carlos Magno, Francisco José Viegas e Paulo Moura falarão sobre “Ética e deontologia na não ficção”. Pelas 17 horas, é a vez de David Dinis, Gustavo Sampaio e Ricardo Rodrigues colocarem em cima da mesa a questão da “Internet – um passaporte para a desinformação?”. Às 18h15, falar-se-á sobre o “Livro: A casa do grande jornalismo”, com a ajuda dos jornalistas Joana Pereira Bastos, Paulo Pena e Rita Garcia. Às 21h30, começa a conferência de encerramento que estará a cargo do fotojornalista João Francisco Vilhena, sob o tema “Polaroides&Poemas – A Fotografia como salvação da Imprensa? O álbum de família e a memória”.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This