unnamed(1)

Festival Temps d’Images 2018

Nesta edição são apresentados 24 eventos, entre os quais 7 estreias absolutas, 2 estreias em Portugal e 7 estreias em Lisboa.

A 16.ª edição do Festival Temps d’Images começa já no próximo dia 1 de Novembro e estende-se até ao dia 2 de Dezembro de 2018. O Festival apresenta 24 eventos, entre os quais 7 estreias absolutas, 2 estreias nacionais e 7 estreias em Lisboa, reunindo 37 artistas e colectivos, num total de 15 espaços da capital. O Festival segue o seu objectivo primordial, o de divulgar o trabalho de artistas em início de carreira e também de artistas consagrados, explorando a relação entre o “ao vivo” e a imagem, assumindo-se como plataforma que permite concretizar trabalhos artísticos que não encontram visibilidade noutros contextos.

O Festival arranca na Appleton Square, nos dias 1 e 2 de Novembro, com BOAS GAROTAS, uma performance de Clarissa Sacchelli a partir de uma selecção de vídeos do arquivo histórico da Videobrasil e uma apresentação no dia 3 de Novembro dos vídeos que serviram de base ao trabalho da artista.

No Palácio Pancas Palha, Sara Vaz e Marco Balesteros apresentam no dia 3 de Novembro o  ENSAIO PARA LIVRO—CARACTER #1 DA IMAGEM, uma investigação sob a forma de ensaio, que aborda a imagem como personagem que assume uma forma cénica e uma forma editorial.

No CAL – Centro de Artes de LisboaMiguel Bonneville apresenta no dia 3 de Novembro MB#6 (2008), uma reposição de um espectáculo de 2008, onde algumas mulheres falam sobre as suas experiências por serem mulheres, adultas, artistas, no formato de vídeo-retratos e no dia 4 de Novembro MB#6 (2018) uma revisitação do espectáculo de 2008, 10 anos depois.

In The Comfort of Your Own Home

In The Comfort of Your Own Home

Na área do cinema, o Temps d’Images programa um ciclo no Cinema Ideal, onde se inclui a estreia absoluta dos filmes UTOPIA.DOC e IN THE COMFORT OF YOUR OWN HOME, de Christiane Jatahy, co-produzidos pela DuplaCena no contexto da Bienal Artista na Cidade, com exibições intercaladas entre 11 e 14 de Novembro.

No dia 10 de Novembro, vai ser exibido um catálogo fílmico da exposição ACÇÃO/DECISÃO  (inaugurada no passado mês de Maio no Centro José de Guimarães), apresentando trabalho de Arthomem, João Fiadeiro e Vânia Rovisco.

Vão ainda ser exibidas uma selecção de CURTAS DO ARQUIVO DIGITAL da Escola Superior de Teatro e Cinema, no dia 9, e uma selecção de CURTAS DO ARQUIVO PELÍCULA da mesma escola na Cinemateca Portuguesa no dia 7 de Novembro.

SØMA

SØMA

O artista Jonathan Saldanha mostra pela primeira vez o seu trabalho em Lisboa com SØMA, uma peça que se situa na intersecção do vídeo com a sonoplastia, nos dias 9 e 10 de novembro na  Culturgest.

Ainda no CAL, Henrique Furtado e Chiara Taviani apresentam STAND STILL YOU EVER-MOVING SPHERES OF HEAVEN, uma estreia absoluta, nos dias 16 e 17 de Novembro, Carolina Campos e Márcia Lança repõem o espetáculo NOME, nos dias 23 e 24, e os SillySeason  apresentam TESTAMENTO EM TRÊS ATOS, uma estreia absoluta a partir da obra de Shakespeare, para ver de 28 Novembro a 2 de Dezembro.

ONDE ESTÁ O CASACO? de Ana Jotta, Cyriaque Villemaux e João dos Santos Martins, é apresentado pela primeira vez em Lisboa nos dias 17 e 18 de Novembro, na Sociedade Musical Ordem e Progresso. Nos mesmos dias, na Sala dos Geradores no MAAT, é apresentada DE PERTO, UMA PEDRA de João Fiadeiro e Leonardo Mouramateus, a partir do espectáculo “From afar it was an island”.

Jungle Red, ©Alípio Padilha

Jungle Red, ©Alípio Padilha

Carlota Lagido estreia em Lisboa JUNGLE RED, no dia 21 no Teatro Ibérico, um espectáculo sobre a nostalgia do paraíso. No Teatro do Bairro, André Uerba apresenta BURN TIME, uma performance-instalação para ver nos dias 21 e 22 e, no dia 25, Ana Renata Polónia leva ao mesmo espaço CARROSSEL, um espetáculo em que o carrossel surge como uma metáfora do percurso da humanidade.

Na Rua das Gaivotas 6, entre os dias 23 e 25 de Novembro, Clara Amaral estreia em Lisboa DO YOU REMEMBER THAT TIME WE WERE TOGETHER AND DANCED THIS OR THAT DANCE?, uma performance apresentada em sessões individuais de 30 minutos.

No DAMAS, no dia 29 de Novembro, é lançada a edição de artista A MORTE NOS OLHOS de  Alexandre Pieroni Calado, João Ferro Martins e José Miranda Justo e depois realiza-se o concerto CATARATA, em que Bruno Humberto e André Tasso se juntam no palco a Ferro Martins. Entrada livre para estes dois momentos.

Já no Espaço Alkantara são apresentados WWW.WE WANT WAFFLES #1, uma estreia absoluta de um projecto de investigação de João Estevens, nos dias 30 de Novembro e 1 de Dezembro, e GEMINIS de António Torres e Sérgio Matias, um work in progress de entrada livre, onde se tenta encontrar uma coreografia do possível a partir do encontro de dois corpos, no dia 1 de Dezembro.

Para terminar esta edição do Temps d’Images, Maria Duarte e João Rodrigues apresentam A BALADA DE AMOR E DE MORTE DO PORTA-ESTANDARTE CHRISTOPH RILKE, uma estreia absoluta para ver nos dias 1 e 2 na Biblioteca de Marvila.

Até ao dia 12 de Novembro está a decorrer a open call para o LOOPS.LISBOA 2018, um convite para artistas submeterem obras que explorem o conceito de “loop”. Os três trabalhos finalistas serão exibidos no Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado, a partir do dia 30 de Novembro e uma dessas propostas recebe o Prémio do Júri, no valor de 2000€.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This