FIMFA Lx 2014

FIMFA Lx 14

Maio é o mês das marionetas

De 7 a 25 de Maio A Tarumba – Teatro de Marionetas recebe a 14ª edição do Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas, em Lisboa! Mais um ano, mais um FIMFA Lx. O festival tem como directores artísticos Luís Vieira e Rute Ribeiro que são também os criadores da companhia A Tarumba – Teatro de Marionetas, conseguimos receber algumas declarações dos mesmos sobre o festival no passado, no presente e umas hipóteses de futuro.

Em 2013, Luís Vieira e Rute Ribeiro ganharam o Prémio Personalidade inserido no Prémio Nacional Multimédia pelo excelente trabalho que têm feito no festival, mais um ponto que nos assegura do nível de excelência do árduo trabalho. Os criadores confessam ter sido algo muito “especial e inédito” por se tratar de um Festival de Marionetas. É um sinal de que cada vez mais a arte das formas animadas é valorizada e apreciada – a pressão é maior, mas o entusiasmo é ainda mais.

No total o FIMFA recebe, este ano, catorze companhias e criadores de vários países como a Alemanha, França, Espanha, Finlândia, Holanda, Noruega, Israel, Reino Unido e Portugal. Conta com cerca de 50 representações que incluem espectáculos de sala, de rua e de pequenas formas. Estas criações internacionais e nacionais são na sua maioria espectáculos de estreia nacional que abordam temas diversos como o amor, o terror, o medo, a memória e muito mais. Podemos contar com diversas técnicas cénicas, mas que se ligam de forma simples.

Um dos estereótipos que o FIMFA tem conseguido quebrar é a ideia de que as marionetas são só para crianças. Desde que Luís Vieira e Rita Ribeiro criaram a sua companhia A Tarumba – Teatro de Marionetas, já há 21 anos, esse sempre foi um dos seus principais objectivos. Os espectáculos d’A Tarumba são essencialmente direccionados para o público adulto e a adesão tem sido óptima. O mesmo aconteceu com o FIMFA que com a sua programação mostrou ao público que é possível criar espectáculos de grande produção e qualidade na arte das marionetas. A cada ano que passa mais pessoas participam no festival, e por conseguinte a cada ano que passa mais esta ideia é contrariada.

O FIMFA é, então, um projecto que preserva desde a primeira edição os seus valores, objectivos e ambições: a promoção e recognição do universo das marionetas e das formas animadas. As representações autentificam a presença deste universo em vários países, bem como a sua importância e magnitude.

Tanto é que o festival tem já um lugar importante e cativo na agenda cultural de Lisboa, nas palavras dos criadores “quase como uma tradição”. A evolução do festival é visível e inegável. Pelo número de companhias que trazem à capital, pelas parcerias que têm estabelecido e pelos espaços de apresentação – “quase todos os mais importantes da cidade”.

A evolução do festival é notável, mas há alguns objectivos que o festival ainda não conseguiu alcançar apenas por motivos orçamentais. A direcção do festival deixou-se com alguns deles: uma ocupação mais efectiva de espectáculos de rua, mais acções de formação e discussão, e sobretudo de apoio à criação de jovens artistas. Luís Vieira e Rita Ribeiro gostavam muito de criar uma plataforma criativa de jovens das mais variadas áreas artísticas para criarem espectáculos em co-produção com o festival com o intuito desses mesmos espectáculos poderem percorrer outros festivais e países. É algo que realmente querem fazer, mas que por motivos financeiros ainda não foi possível.

De facto, o orçamento reduzido é um problema para a organização do festival. Na apresentação do programa desta edição partilharam as dificuldades da organização este ano. Os cortes foram de grande dimensão, e criaram uma necessidade de reorganizar o festival apenas a três meses do mesmo. O período do festival teve de ser reduzido, o número de companhias participantes também, bem como foram postas em pausa algumas actividades complementares que iam ser iniciadas nesta edição. Os enormes cortes orçamentais afectaram muito a organização do festival, por momentos parecia até impossível realizar o festival em 2014, mas essa era uma opção que a organização não iria aceitar. É garantido que o FIMFA continua graças à maravilhosa equipa que se entrega ao projecto de corpo e alma, fazem o possível e o impossível para que tudo corra como previsto, o que “infelizmente nem sempre é visível”, asseguram os directores artísticos.

Para quem ainda está indeciso entre ir ou não ir, o festival aconselha-vos a “viver os espectáculos e as noites deste festival mágico.” Garantem um festival com espectáculos diversos entre si, mas cada um com uma surpresa. Convidam o público a iniciar uma “viagem pela arte do movimento”, mas sempre com uma mente bem aberta.

O festival tem início quarta-feira, dia 7 de Maio com um espectáculo de abertura da companhia finlandesa WHS, Départ. A abertura do FIMFA Lx14 está previsto para as 21h do São Luíz Teatro Municipal. Prolonga-se até dia 25 de Maio com cinquenta espectáculos por onde escolher.

Fica um comentário directamente dos directores artísticos do Festival Internacional de Marionetas e Formas Animadas para que não haja dúvidas do porquê de valer a pena visitar o FIMFA:

“Um guarda-roupa que exprime sentimentos, objectos, magia e projecções gigantes, para nos falar sobre a separação de um casal; marionetas hiper-realistas num belíssimo texto de Thomas Mann; marionetas de fios, dança e luz abordam um dos mitos das Metamorfoses, de Ovídeo; figuras de papel, sombras e animação, evocam o terrorismo, através de uma história verdadeira; um bestiário mecânico que parece sair da imaginação de Leonardo da Vinci, com robots e autómatos que transmitem verdadeiras emoções… Curiosos? Venham fazer uma visita ao FIMFA Lx14! Não se vão arrepender…”

 



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This