“From up on Poppy Hill”

“From up on Poppy Hill”

Possui um certo charme de tempos passados, de sentimentos puros e de causas justas

No festival MONSTRA foi apresentado um dos últimos filmes oriundos do famoso estúdio Ghibli. Falamos de “From up on Poppy Hill”, de Gorō Miyazaki. Pelo nome é simples fazer a ligação familiar; Gorō é o filho de um dos nomes mais importantes da animação japonesa Hayao Miyazaki. Um nome que se prova poderoso e para isso basta confirmar a maior afluência que se deu no São Jorge para a visualização deste filme. Claro que, se por um lado o nome Miyazaki veio abrir várias portas a Gorō, por outro eleva a fasquia dos seus filmes a um patamar muito elevado – não há bela sem senão.

Apesar de o filme ser realizado por Gorō Miyazaki também conta com o envolvimento do seu pai, que juntamente com Keiko Niwa esteve responsável pelo argumento do filme, uma adaptação do manga de Chizuru Takahashi e Tetsurō Sayama. Num filme em que a paternidade tem um papel tão importante, esta colaboração entre pai e filho torna-se ainda mais especial.

O filme desenrola-se nos anos 60 num Japão pós-guerra. Umi Matsuzaki é uma jovem estudante de liceu que vive e trabalha na pensão Coquelicot Manor. A sua vida é, na sua maioria, rotineira. Todas as manhãs Umi levanta-se para preparar o pequeno-almoço, mas não sem antes içar algumas bandeiras num mastro, enviando mensagens para o seu falecido pai, um marinheiro que morreu durante um ataque na Coreia. Daqui segue-se a escola e depois Umi regressa aos serviços domésticos da pensão.

Tudo isto muda quando Umi conhece Shun Kazama que, graças ao seu carisma e dedicação, rapidamente conquista o coração da menina. Shun, juntamente com alguns colegas seus, está envolvido num protesto que pretende salvar a Quartier Latin, uma casa histórica que o director escolar tem a intenção de demolir e que os alunos ocuparam para os seus vários grupos de estudo – literatura, química, filosofia (mesmo que tenha apenas um membro), entre outros.

Ao Umi conhecer a famosa Quartier Latin identifica-se com a causa tornando-se uma peça essencial nesta batalha. E assim, com o objectivo de salvar o edifício, Umi e Shun vão cada vez mais aproximando-se um do outro, acabando por descobrir que a vida de ambos já estava ligada ainda antes de se terem conhecido.

”From up on Poppy Hill” tem todo um ambiente saudosista. Começando pelo argumento, que nos remete imediatamente para uma determinada fase dourada da nossa infância, bem como o retrato de um Japão mais antigo. Em termos da animação é de salientar a atenção dada aos cenários, nomeadamente às paisagens, algo que poderá estar intrinsecamente ligado à primeira área profissional do realizador, que se formou na escola de agricultura da universidade Shinshu, antes de ter enveredado pelas pisadas do pai. Gorō afastou-se cedo da animação por considerar que nunca atingiria o nível do seu pai. Felizmente, nos últimos anos acabou por reconsiderar e, baseando-nos neste filme, ainda bem que o fez.

Independentemente da qualidade da história, sempre directa e que se desenvolve sem grandes surpresas, “From up on Poppy Hill” possui um certo charme de tempos passados, de sentimentos puros e de causas justas, que é absolutamente irresistível. No seu âmago é um filme carregado de bons sentimentos, que nunca são demais recordar.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This