Revista Granta

Granta

Revista mítica chega a Portugal

Em 1889, estudantes da Universidade de Cambridge fundavam a revista Granta. Uma publicação estudantil, que misturava política, entretenimento e literatura, e que mostrou os primeiros escritos de gente como Ted Hughes ou Sylvia Plath, só para dar dois exemplos.

A crise na publicação instalou-se na década de 1970, juntando aos problemas financeiros uma estagnação criativa. Foi então que um novo grupo de estudantes se chegou à frente, relançando o seu estatuto de revista da escrita emergente. 1979 corresponde ao ano da revitalização da Granta que, desde então, tem publicado textos sobre todos os grandes temas da humanidade, escritos por gigantes das letras como Saul Bellow, Raymond Carver, Martin Amis, Doris Lessing, Peter Carey, Bruce Chatwin, Nadine Gordimer, Milan Kundera, Ian McEwan, Gabriel Garcia Marquez, Salman Rushdie, George Steiner, Ryszard Kapuscinski, Arundhati Roy ou Zadie Smith, entre muitos outros. Todos os números publicados desde 1979 estão ainda disponíveis no mercado.

Em termos históricos, a missão da Granta tem sido a de descobrir e publicar a melhor ficção e não-ficção de todo o mundo. Hoje em dia é, provavelmente, a mais conceituada revista literária do planeta, reconhecida pela qualidade dos escritores aí publicados e, também, pelo facto de juntar autores consagrados a outros emergentes, além de misturar trabalhos de ficção com jornalismo, poesia e fotografia.

Em tempos mais recentes, a revista decidiu partir para a internacionalização, dinamizando o conceito de uma sociedade em rede onde ideia de fronteira pouco importa, e em que os bens culturais e artísticos circulam livremente. Depois de Espanha, Itália, Brasil, Bulgária, Noruega, Suécia e China, a revista vai conhecer uma edição portuguesa, dirigida por Carlos Vaz Marques, figura central na vida cultural portuguesa. Associada à Granta Portugal vai estar a editora Tinta da China e a sua equipa de produção.

A Granta Portugal assentará na mesma filosofia da casa-mãe, de que falámos anteriormente. Publicado semestralmente, cada número terá um tema central e incluirá textos históricos do arquivo da Granta anglo-saxónica (relevantes para o tema em questão), bem como textos de autores portugueses contemporâneos, além de um portefólio fotográfico. O primeiro número da revista será publicado em Maio de 2013 e incluirá, para além de tudo isto, oito sonetos inéditos de Fernando Pessoa. Os restantes autores mantêm-se por enquanto no segredo dos deuses. O tema do primeiro número é, naturalmente, um tema literário por excelência: «Eu». Razões suficientes para exclamar: que Granta acontecimento!

Para o final fica uma boa notícia. Até ao final de Março decorre uma campanha de subscrição da Granta Portugal para o período de dois anos (quatro números) que, além da redução em 30% relativamente ao custo de capa, ainda oferece o livro “Sob Céus Estranhos”, de Daniel Blaufuks, que recebeu o Prémio Photo España para melhor livro de fotografia. É de aproveitar.

A imagem mostrada “Na Rua” é um fragmento da primeira capa da Granta, a publicar em Maio. A fotografia é de Daniel Blaufuks, que também assina o portefólio do primeiro número.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This