3

Gundam Versus | Análise

Um jogo para fãs e não só

Se és fã do género Anime e Mechs gigantes à pancada é a tua praia, de certeza que conheces a icónica série Gundam. Se és possuidor de uma PS4, melhor ainda, porque Gundam Versus é um título que talvez queiras considerar adicionar à tua biblioteca. Ao todo, são mais de uma centena de Mechs que o jogo coloca à tua disposição, perfeitamente adaptados das várias séries Gundam, desde a original de 1979 às mais recentes. É claro que este é sobretudo um jogo para os fãs mais acérrimos da série anime mas mesmo os jogadores menos familiarizados com este universo podem surpreender-se com o entretenimento que é capaz de lhes proporcionar.

 

Antes de avançar, não posso deixar de salientar que não existe um modo história em Gundam Versus, algo que irá afastar alguns jogadores. Este é, para todos os efeitos, um jogo de luta e se isso te agrada, então prepara-te para combates sem tréguas que te colocam ao comando de enormes e imponentes robôs, enquanto voas pelos cenários a tentar esquivar-te de ataques inimigos e procuras o momento certo para contra-atacar. Seja a abalroar um adversário por um prédio adentro ou a destruí-lo com uma poderosa sequência de ataques. Em termos de grafismo, cada Gundam surge incrivelmente detalhado, algo que não deixará os fãs indiferentes. Já as arenas onde toda a acão decorre, bom… Apesar de não serem particularmente brilhantes, conferem uma variedade agradável em termos de temática.

Ao mostrar-se totalmente virado para o combate, Gundam Versus prima pela jogabilidade e esforça-se em oferecer modos de jogo capazes de encher as medidas aos jogadores, ávidos por comandar os seus mechs preferidos. Offline, os modos que terão à vossa disposição, tanto o Ultimate Battle como o Trial Battle, pouco diferem entre si ao colocar-vos contra várias vagas pré-definidas de unidades Gundam que a solo, ou acompanhados por até dois jogadores (online ou controlados pelo CPU) terão de conseguir derrotar. Ainda que com o passar das horas acabem por convidar à repetição, percorrer o impressionante (e nostálgico) leque de unidades Gundam à nossa disposição, e consequentemente vê-los em acção, evita que a monotonia se instale. É pena, porém que só as falas do nosso Navegador, que nos dá instruções no campo de batalha, sejam traduzidas. As restantes, algumas delas emblemáticas e retiradas das séries das quais são provenientes, como por exemplo as introdutórias dos vários pilotos, ficaram por legendar.



Por muito que os modos single-player nos ofereçam diferentes modos de dificuldade, o verdadeiro desafio está no modo multijogador online em combates até 3vs3. É aqui que vamos realmente pôr à prova as nossas capacidades e ver se realmente estamos familiarizados com os nossos Mechs preferidos e as várias características que os destinguem das demais unidades disponíveis. No campo de batalha a jogabilidade é de facto quem fala mais alto em Gundam Versus e é fantástico como cada Gundam oferece uma forma distinta de jogar, como se de um diferente lutador num jogo de luta se tratasse. Enquanto que alguns são exímios em derrotar inimigos à distância, outros mostram-se extremamente eficazes em confrontos corpo-a-corpo. Pelo meio existem Gundam que com a sua capacidade de deslocação oferecem um misto entre estas duas abordagens.

Propulsionar os nossos enormes lutadores pelo campo de batalha é intuitivo o quanto baste e não tardará muito até que saibamos que botão faz o quê. Uma jogabilidade simples, é certo, mas que depressa ganha outra complexidade quando nos sentirmos confiantes para começarmos a experimentar, as várias unidades de suporte com as quais podemos combinar os nossos ataques e combinações de botões mais avançadas que consequentemente nos dão acesso a um ainda maior leque de ataques e formas de nos defendermos. Pelo meio de disparos de enormes canhões e de vertiginosas espadeiradas, cair em combate é inevitável mas é algo a que se irão habituar rapidamente. A morte não significa o final, pois depressa estão de volta ao campo de batalha prontos a tentar virar o jogo a vosso favor. Quantas vezes é que o podem fazer, porém, isso de dependerá do Mech que escolherem.

No lugar de vidas, um pouco à semelhança de jogos como Battlefield o sistema de respawn está dependente de Tickets. No menu de selecção de personagens (Gundam) vão reparar que a cada Mech corresponde um número que corresponde aos Tickets que cada respawn irá custar à equipa. Quanto mais poderoso for, mais o número de Tickets aumenta. O leque de Mechs disponíveis é como já disse impressionante e seguramente que muitos irão cair na tentação de utilizar os mais fortes logo a início. Pensem bem antes de o fazer, pois lembrem-se que com um aumento de poder a mobilidade pode ser comprometida, o que vos pode levar a uma morte prematura que poderá custar a partida à vossa equipa. E isto tanto Online como Offline.



Cada Gundam faz-se ainda acompanhar por um sistema de progressão. Evoluam as vossas unidades preferidas e sejam recompensados com pilotos alternativos, decalques e até novas unidades de suporte que vos poderão ajudar em combate. Para além disto as vossas instruções no campo de batalha podem ainda ser dadas por novas personagens que consigam desbloquear. Claramente que este é um jogo inteiramente dedicado aos fãs da série anime e o sistema de longevidade é uma prova disso mesmo, uma vez que o real valor das suas recompensas só será devidamente apreciado por eles. Mas ainda assim, Gundam Versus, com o seu leque impressionante de Mechs e o seu sistema de combate táctico, virado para o jogo em equipa (idealmente com outros jogadores), é um jogo que tem cartas na manga suficientes para agradar também a jogadores ávidos por fazer parte de sessões de valente pancadaria ao comando de imponentes robôs gigantes!



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This