Herbie Hancock @ Guimarães Jazz (8.11.2012)

Herbie Hancock @ Guimarães Jazz (8.11.2012)

A primeira noite do Guimarães Jazz 2012, um festival com tradição e de referência mundial, foi sublime

No aprazível e muito bem bem concebido auditório do Centro Cultural de Vila Flor, em Guimarães, realizou-se na noite de 8 de Novembro um espectáculo de vanguarda de jazz. Herbie Hancock, um dos mais carismáticos jazzistas de sempre, proporcionou aos presentes uma experiência única, tanto a nível musical, como tecnológico. Além do fundamental piano de três quartos de cauda e dos restantes quatro teclados, entre os quais um sintetizador de ombro para solar na ribalta do palco, cinco iPad’s e dois computadores preenchiam o estúdio in vivo que levou a plateia até uma onda avassaladora de explorações musicais.

Poderão os fundamentalistas do jazz enveredar pela censura de um compositor que sempre nos habituou a uma grande promiscuidade do seu jazz com outros estilos, mas se o fizerem é porque provavelmente não estiveram presentes em Guimarães.

Desde peças de Gershwin até clássicos próprios, tudo o que foi “declamado” ao som do piano de Hancock deixou a plateia com a sensação de que setenta e dois anos não passaram pelas mãos de alguém tão virtuoso.

Sempre com um humor que muito contribuiu para a humanização de um nome já próximo do endeusamento, Hancock afirmou aos presentes que não sabia como iria correr a sessão experimentalista que ia realizar com toda a tecnologia supramencionada. Afinal, é sempre diferente.

Como a plateia confirmou com exclamações de prazer, Hancock não só domina as teclas com mestria como também a tecnologia de que faz uso neste “Plugged In: A Night of Solo Explorations”.

Desde os loops gravados presencialmente aos sons electrónicos nada convencionais que se misturavam com aquilo que é a essência do jazz, tudo foi executado com uma simplicidade admirável.

Em suma, a primeira noite do Guimarães Jazz 2012, um festival com tradição e de referência mundial, foi sublime. O poder da inventividade musical, somado ao poder da tecnologia, com alguém como Herbie Hancock ao leme prova que ainda existem muitos caminhos por trilhar na performance musical.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This