Hitchcock na Esplanada

Durante todo o mês de Julho na Cinemateca de Lisboa.

Com a chegada do Verão, nada melhor que aproveitar as noites agradáveis da Estação para descobrir (ou relembrar) a obra de um dos mais importantes realizadores de todos os tempos – Sir Alfred Hitchcock. Durante todo o mês de Julho, de Quinta a Sábado, serão exibidos onze filmes do “mestre do suspense”. Este ciclo será apenas interrompido no dia 14, com a exibição de “Blade Runner”, o filme de culto de Ridley Scott. Se o tempo não ajudar à festa, as projecções serão transferidas para a Sala Dr. Félix Ribeiro.

Fiquem com o programa completo:

THE BIRDS
Sábado, dia 1 às 22:30

Os Pássaros, com Tippi Hedren, Rod Taylor, Jessica Tandy, Susanne Pieshette
Estados Unidos, 1963 – 120 min / legendado em francês

Um dos maiores êxitos públicos de Hitchcock e uma das suas obras mais perfeitas. Adaptado de um conto de Daphne du Maurier, THE BIRDS segue a personagem de Tippi Hedren na ida à cidade costeira de Bodega Bay e ao encontro de uma estranha revolta de aves que começam a atacar as pessoas. Como estrelas dos efeitos especiais deste filme, foram elaboradas miniaturas de pássaros, que foram combinadas com pinturas matte e uso de retro-projecção.

THE MAN WHO KNEW TOO MUCH
Quinta-Feira, dia 6 às 22:30

O Homem Que Sabia Demasiado, com Leslie Banks, Edna Best, Peter Lorre, Nova Pilbeam, Pierre Fresnay
Grã-Bretanha, 1934 – 75 min / sem legendas

Primeira versão de uma história a que Hitchcock voltou no seu período americano. Comparando-as, Hitch disse que esta versão “foi realizada por um amador de talento e a segunda por um profissional”. Foi também o filme que consagrou definitivamente o realizador como o “mestre do suspense” e fez dele o mais conhecido e importante cineasta inglês. Em férias na Suíça, um casal de ingleses é envolvido numa história de espionagem. Como na versão americana, o grande momento é o atentado no Albert Hall. Destaque ainda para a presença de Peter Lorre, no seu primeiro papel importante fora da Alemanha.

THE MAN WHO KNEW TOO MUCH
Sexta-Feira, dia 7 às 22:30

O Homem Que Sabia Demais, com James Stewart, Doris Day, Daniel Gélin, Brenda de Banzie, Christopher Olsen
Estados Unidos, 1956 – 120 min / legendado em francês

Segunda versão do filme de Hitchcock de 1934. Um pacato casal americano vê-se envolvido numa história de espionagem, aquando das suas férias em Marrakech. Um dos trabalhos mais brilhantes do autor de VERTIGO, que culmina na espantosa sequência no Albert Hall, com a orquestra dirigida por Bernard Herrmann, o compositor favorito de Hitch. Doris Day canta Che Sara Sara, melodia vencedora do oscar desse ano.

VERTIGO
Sábado, dia 8 às 22:30

A Mulher Que Viveu Duas Vezes, com James Stewart, Kim Novak, Barbara Bel Geddes, Tom Helmore
Estados Unidos, 1958 – 128 min / legendado em português

Duas mulheres que são uma só e um homem que numa procura recriar a imagem que tem da “outra”. Diz-se que Hitchcock só filmou histórias de amor. Se dúvidas houvesse, VERTIGO dissipava-as. É só a paixão (que chega à própria necrofilia) que motiva o protagonista desta obra-prima de Hitch. O crime, a intriga policial, aqui, não são mais do que o clássico “macguffin”, de tal modo que o espectador se esquece que o crime fica sem castigo. O saber de Hitchcock iludiu todas as censuras.

Sábado, dia 8 às 22:30

THE 39 STEPS
Quinta-Feira, dia 13 às 22:30

Os 39 Degraus, com Robert Donat, Madeleine Carroll, Lucia Mannheim, Godfrey Tearle, Peggy Ashcroft
Grã-Bretanha, 1935 – 84 min / legendado em português

Hitchcock é o guia para esta inesquecível viagem pela Escócia, num filme que é considerado o melhor do seu período britânico, e o “gémeo” do NORTH BY NORTHWEST da fase americana. Adaptado de uma popular novela de John Buchan, é a história de um homem tomado erradamente por assassino e obrigado a percorrer a Escócia algemado a uma rapariga, durante a fuga e a busca do verdadeiro criminoso. Pela primeira vez, OS 39 DEGRAUS no espaço OS 39 DEGRAUS.

Quinta-Feira, dia 13 às 22:30

REAR WINDOW
Sábado, dia 15 às 22:30

Janela Indiscreta, com James Stewart, Grace Kelly, Wendell Corey, Thelma Ritter, Raymond Burr
Estados Unidos, 1954 – 112 min / legendado em francês

Pode chamar-se-lhe um “filme de câmara”, de tal forma tudo se circunscreve à visão a partir da sala onde o herói, um fotógrafo com a perna em gesso devido a um acidente (James Stewart), passa o tempo bisbilhotando a vida dos vizinhos até ao momento em que se depara com um crime. A notável articulação entre os espaços do interior do apartamento de Stewart e o pátio e as traseiras dos vizinhos, é o resultado de um dos mais fabulosos trabalhos de “set designing” da história do cinema.

FOREIGN CORRESPONDENT
Quinta-Feira, dia 20 às 22:30

Correspondente de Guerra, com Joel McCrea, Laraine Day, Herbert Marshall, GEORGE SANDERS
Estados Unidos, 1940 – 112 min / legendado em português

Joel McCrea é um repórter desportivo americano, enviado para a Europa para uma série de reportagens “diferentes” sobre a crise política que levou à Segunda Guerra Mundial. O mestre do suspense dá-nos um dos seus filmes mais espectaculares, cheio de achados visuais (as sequências dos moinhos de vento, o atentado contra o político e a queda final do avião) e com o seu humor característico (a tentativa de assassinato do jornalista).

SUSPICION
Sexta-Feira, dia 21 às 22:30

Suspeita, com Cary Grant, Joan Fontaine, Cedric Hardwicke, Nigel Bruce, Dame May Whitty
Estados Unidos, 1941- 99 min / legendado em português

Uma das obras maiores de Hitch, que é um hábil retrato psicológico da suspeita e do medo, com Cary Grant dando à sua personagem uma ambiguidade em que se apoia praticamente todo o suspense do filme. E Hitch faz com que os seus mais inesperados gestos e comportamentos transmitam uma sensação de inquietação ao espectador, mesmo que, para este, lhe seja inconcebível ver Grant como (possível) vilão. Um oscar para Joan Fontaine.

MARNIE
Sábado, dia 22 às 22:30

Marnie, com Sean Connery, Tippi Hedren, Diane Baker, Martin Gabel
Estados Unidos, 1964 – 129 min / legendado em português

Pensado para o possível regresso de Grace Kelly ao cinema, MARNIE é o último filme de Hitchcock com a sua última “loira de gelo”, Tippi Hedren, que o deixou, como se sabe, “em fogo”. Marnie é uma ladra compulsiva, uma cleptomaníaca, em consequência de graves traumas sofridos na infância, que planeia roubar o patrão, mas, descoberta, é por este submetida a uma psicanálise “acelerada”. Um dos maiores (e mais mal amados) filmes de Hitchcock.

SABOTAGE
Quinta-Feira, dia 27 às 22:30

À 1 e 45, com Sylvia Sidney, Oscar Homolka, Desmond Tester, John Loder
Grã-Bretanha, 1936 – 74 min / legendado em espanhol

Adaptado de um romance de Joseph Conrad, The Secret Agent, sobre uma série de atentados terroristas em Inglaterra, SABOTAGE é, ao mesmo tempo, uma ilustração do que o realizador pensava sobre os mecanismos do suspense (toda a sequência inicial), do seu trabalho de montagem (o assassinato de Homolka por Sylvia Sidney, que Truffaut comparou à morte da CARMEN), da utilização que concebeu para certos espaços (a perseguição no interior do cinema, durante a exibição de um filme) e do que Hitchcock chamou um “erro” na famosa definição do suspense e da bomba (fazer explodi-la).

SHADOW OF A DOUBT
Sexta-Feira, dia 28 às 22:30

Mentira, com Joseph Cotten, Teresa Wright, MacDonald Carey, Hume Cronyn, Patricia Collinge, Henry Travers
Estados Unidos, 1943 – 108 min / legendado em português

Um homem suspeito de ser o misterioso assassino de viúvas (com uma predilecção pela música de A Viúva Alegre) refugia-se numa pequena comunidade californiana onde tem família. Uma sobrinha, particularmente fascinada pela sua personalidade, torna-se alvo de estranhos “acidentes”. Uma das obras-primas de Hitchcock sobre a suspeita e a dúvida.

FRENZY
Sábado, dia 29 às 22:30

Perigo na Noite, com Jon Finch, Barry Foster, Barbara Leigh-Hunt, Anna Massey
Grã-Bretanha, 1972 – 116 min / legendado em português

Hitchcock de novo em Inglaterra. FRENZY é o seu penúltimo filme e o mais escatológico. É o filme dos dejectos e dos esgotos, acompanhando o ciclo alimentar (um velho projecto do realizador para um documentário). Do mercado de legumes e das bocas escancaradas das vítimas do psycho-killer ao caixote do lixo para onde o inspector envia as experiências culinárias da mulher. Entre o humor e a provocação, Hitchcock chega a roçar o obsceno (o cadáver e as batatas no camião) numa das suas obras mais geniais.

A programação da Cinemateca para Julho não se resume aos filmes de Hitchcock. Prossegue a “épica” História Permanente do Cinema, onde serão exibidos alguns dos filmes galardoados com o Óscar de “Melhor filme estrangeiro”; será prestada a homenagem a Anthony Mann e a Otar Iosseliani e comemorado o centenário do actor George Sanders. Uma última nota para um ciclo dedicado à música e músicos do cinema português, onde serão exibidos filmes que contam com composições de Sérgio Godinho, José Mário Branco e Fausto.

Um mês em cheio na Cinemateca. O melhor mesmo é passar pelo site e conhecer toda a programação.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This