IndieLisboa

O 1º Festival de Cinema Independente de Lisboa vai realizar-se no fim de Setembro, mas as inscrições já estão abertas.

Depois de quase 25 anos de Fantasporto, parece que Lisboa vai ter o grande festival de cinema que, como grande capital europeia, já merecia ter há muito tempo. As pessoas por detrás do projecto são as certas e só falta que a Câmara de Lisboa disponibilize o cinema S. Jorge, um dos mais emblemáticos locais da 7ª arte de Lisboa e sem dúvida o mais apropriado para a realização de um evento desta envergadura, para que o Festival possa ter o sucesso que todos esperamos.

O Festival realiza-se entre 24 de Setembro e 2 de Outubro e a organização está a cargo da regressada Zero em Comportamento. O Festival tem uma estrutura própria e autónoma da qual fazem parte Rui Pereira (membro fundador e principal programador da Zero em Comportamento), Nuno Sena (formador na Restart e colaborador na DocLisboa e Lexicultural) e Miguel Valverde (professor, programador da Zero em Comportamento e Restar e colaborador da Zero_Mag). A Direcção de Produção é de Ana Teresa Real, fundadora da associação Ur, responsável pela revista NADA (vamos falar desta revista numa próxima edição da Rua de Baixo), que tem uma vasta experiência na organização de eventos.

O IndieLisboa pretende ser um observatório privilegiado do que de mais interessante se passa no cinema independente em todo o mundo. O principal objectivo é promover a cultura cinematográfica e a criação e alargamento dos públicos de cinema, possibilitando o encontro destes com um conjunto de filmes que de outra maneira muito dificilmente teriam entre nós a visibilidade que merecem. O cinema português obviamente não foi esquecido e foi criada uma competição própria que irá distinguir a melhor película, na opinião do Jurí.

Assim, a programação será composta por uma Competição Oficial de Longas e Curtas-metragens (obras nunca antes apresentadas publicamente em Portugal e terminadas em 2003 e 2004) e por secções paralelas, designadamente o Observatório (Longas e Curtas Metragens que não preenchem os requisitos para integrar a Competição Oficial), a Retrospectiva “Herói Independente” (uma homenagem com apresentação da retrospectiva da obra de uma personalidade desde sempre associada ao cinema independente) e Sessões Especiais vocacionadas para um público mais jovem, em colaboração com escolas.

O Júri Internacional vai ser composto por personalidades do meio cinematográfico ou com este relacionado, num mínimo de três e num máximo de cinco elementos, dos quais pelo menos um será português. O Júri do Público será constituído por todos os espectadores pagantes das sessões da Competição e do Observatório.

A organização do festival colocou a fasquia bastante alta no que diz respeito aos objectivos a alcançar, pretendendo com este festival colocar Lisboa no circuito europeu dos festivais de cinema que optam pela independência nas escolhas das películas a exibir. A apresentação oficial ocorre durante Setembro, mas o endereço do festival já está diponivel desde Maio. As inscrições estão abertas e duram até ao dia 1 de Julho.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This