“Jack, O Caçador de Gigantes”

“Jack, O Caçador de Gigantes”

Uma aventura tradicional metamorfoseada numa experiência visual moderna e marcante

“Fee, fye, foe, fumm”, assim começa, com esta frase em jeito de poema, da autoria de Joseph Jacobs, uma intrigante jornada cinematográfica que promete, a todos os apreciadores dos filmes de aventura, cento e catorze minutos repletos de fantasia, drama e acção.

Um filme realizado por Bryan Singer (“X-Men”, “Operação Valquíria”, “Superman – O Retorno”), esta é uma versão moderna do conto tradicional “João e o Pé de Feijão”.

Jack (Nicholas Hoult) é um jovem camponês britânico fascinado, desde pequeno, pela lenda de “Erik, O Grande”. De acordo com o livro que o seu pai lia à cabeceira da sua cama, este antigo rei derrotou um exército de invasores gigantes que quiseram tomar conta da Terra, tendo-os controlado com uma coroa mágica.

Um dia, Jack cruza-se com um monge que lhe entrega um punhado de feijões em troca do seu cavalo. No entanto, este não será, de todo, um mau negócio. Estes feijões, apesar da relutância inicial por parte da personagem principal, tal como é contada na fábula “João e o Pé de Feijão”, são mágicos. Assim, o monge adverte-o de que os feijões não poderão ser molhados, sob o risco de o jovem rapaz abrir um portal entre dois mundos: o dos humanos e o dos gigantes.

Numa noite de temporal, o quotidiano do Reinado de Cloister é posto à prova. Jack, acidentalmente, abre um portal em direção ao céu, vindo a provar que nem todas as lendas são falsas.

Quando as temíveis criaturas se apercebem da oportunidade de se vingarem da raça humana e poderem dominar, finalmente, a terra que dizem ser sua por direito, Jack e o exército de Cloister vêem-se subitamente destinados a salvar a sua pátria e, principalmente, a princesa Isabelle (Eleanor Tomlinson), uma bela e destemida jovem.

Jack lutará pelo seu reino e pelo amor que sente pela jovem princesa. Irá Jack conseguir o que o destemido Rei Erik outrora alcançou? A paz do Reinado de Cloister irá ressurgir das trevas?

Uma aventura tradicional metamorfoseada numa experiência visual moderna e marcante, a ser partilhada com toda a família. A não perder, estreia nacional dia 14 de Março, numa sala de Cinema perto de si.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This