Jay-Jay Johanson @ Musicbox (30.01.2016)

Jay-Jay Johanson @ Musicbox (30.01.2016)

Um uísque à saúde do Musicbox

Fez pleno sentido envolver alguém com 20 anos de carreira, e que visita regularmente o nosso País, nas comemorações dos 10 anos de existência do Musicbox (muitos parabéns!).

Jay-Jay Johanson, o sueco de voz grossa, que nos apareceu originalmente em pleno império mundial do trip-hop, visitou-nos de novo no passado fim-de-semana.

Acompanhado em palco apenas pelo seu inseparável companheiro Erik Jansson, responsável pela electrónica e teclados, Jay-Jay apresentou-nos um resumo da matéria dada ao longo destas duas décadas, num prazenteiro passeio desde “Whiskey” até ao seu décimo disco, “Opium”, editado em 2015. Tanto é que apenas apresentou duas canções do seu mais recente trabalho, preferindo claramente um alinhamento dividido irmamente pela sua discografia.

O registo é o habitual; ritmo tradicionalmente lento, composto por batidas gordas, a voz de crooner a pincelar cores melancólicas com travo a uísque, e a electrónica e teclados muitas vezes irrequietos e dissonantes, como que imprimindo um cunho abstrato à pintura.

A temática de Jay-Jay Johanson resume-se ao amor, se é que poderemos ousar a assim o resumir para nos referirmos a um assunto tão vasto e complexo. As letras sempre em tom pessoal, cheias de “you and I”, ora amargas, ora saudosas, ora em tom de declaração. Mas nunca deixando de encarar frontalmente os sentimentos.

Apesar da toada relativamente similar do concerto, «She Doesn’t Live Here Anymore» e «Rocks In Pockets» são sem dúvida canções maiores no universo desta voz sueca, que acabam por sobressair por entre o interessante alinhamento, além dos trunfos que serão eternamente os temas retirados do seu disco debutante.

Jay-Jay Johanson não deixou de agradecer o apoio do nosso público, ao longo desta vintena de anos, e nós agradecemos-lhe a qualidade que voltou a ter nos seus últimos trabalhos, capazes de ombrear com o seu fulgurante início de carreira. Além de todas as memórias.

Depois da dupla sueca, a electrónica prosseguiu no estabelecimento aniversariante, desta feita em compasso mais rápido e mais exigente para os frequentadores do dancefloor, pela pauta dos The Correspondents, que contou inclusivamente com a apresentação de alguns novíssimos temas.

A dupla londrina joga com um variado rico e variado naipe de estilos musicais, como o swing, o dubstep, ao quais lhe adiciona a sua energia própria, bem espelhada na extenuante actuação do frontman Mr. Bruce.

Alinhamento:
– «I Love Him So»
– «It Hurts Me So»
– «Dilemma»
– «Escape»
– «NDE»
– «She Doesn’t Live Here Anymore»
– «I Don’t Know Much About Loving»
– «Tomorrow»
– «Milan, Madrid, Chicago, Paris»
– «I Miss You Most of All»
– «I Fantasise of You»
– «Rocks In Pockets»
– «Far Away»
– «Driftwood»
– «Believe in Us»
– «I’m Older Now»
– «On The Other Side»

Fotografia por José Eduardo Real



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This