Jessie Ware | “Devotion”

Jessie Ware | “Devotion”

Imaginem uma voz quente britânica misturada em sons de electro-soul, pop, R&B e nu-soul. Esta é a receita mágica que nos leva a apaixonar por Jessie Ware, esta nova descoberta da música que já foi considerada a Sade de 2012

Imaginem uma voz quente britânica misturada em sons de electro-soul, pop, R&B e nu-soul. Esta é a receita mágica que nos leva a apaixonar por Jessie Ware, esta nova descoberta da música que já foi considerada a Sade de 2012.

Já a vimos como backing-vocal do projecto electrónico de SBTRKT, com Sampha, com o dubstep de Joker e, recentemente, com BenZel, um projecto recém-nascido de dois miúdos de Osaka que se descobriram porque ambos são fãs de R&B dos anos 90 e J Dilla.

Em acústico, ao vivo, na rádio ou em estúdio tudo lhe fica bem e nós também ficamos bem com a Jessie. Bem melhor ficámos ainda a ouvir em loopDevotion“, o novo álbum que partilha o nome com a primeira faixa e que nos põe em êxtase.

Devotion é a primeira faixa do álbum, porque foi onde tudo começou. Foi a primeira faixa que escrevi com Dave Okumu e aquela em que senti que realmente estava a trabalhar para aquilo que queria ser como artista.” J. Ware

Depois de «Devotion» vamos até aos MPC’s e às guitarras de «Wildest Moments», talvez a faixa mais vezes recriada em acústico, que traduz a história de uma amizade onde predomina o amor e o seu oposto. Não é por acaso que Jessie escreveu a pensar na melhor amiga e nas controvérsias que podem ter as amizades femininas.

Mas é «Running» que fez saltar Jessie para a ribalta e abrir os olhos dos mais desatentos. Tanto a música como o próprio vídeo (que foi gravado num restaurante de um amigo em Vauxhall) nos remete para o sophisti-pop e R&B do final dos anos 80, ritmos que fazem, literalmente, correr os nossos sentidos e que até já valeram uma remistura dos Disclosure.

“«Running» por acaso foi a última música que escrevi para o álbum. Fui para Bristol encontrar-me com Bashmore porque queria escrever a segunda parte de «Sweet Talk», a música que tínhamos escrito juntos. «Sweet Talk» é sobre aquele homem que faz por se pôr sempre à tua frente e, apesar de saberes que não deves, acabas sempre por ceder. «Running» são as repercussões de «Sweet Talk».” J. Ware

Entretanto, com tanta “conversa doce”, de amor morremos, tanto por «Still Love Me», como por «Not to Love», até renascer uma luz que nos arrebate o espírito com «Night Light».

Esta foi uma das músicas que sofreu mais alterações da demo inicial. É uma música de amor sobre o meu namorado, mas entretanto estava a soar muito doce e queria que tivesse mais paixão e fogo. Então sofreu uns ajustes por parte do Dave, adicionando-lhe guitarras eléctricas que ecoam no resto do álbum, tanto em Running como em «Sweet Talk» e assim conseguimos transmitir essa paixão e solidez.” J. Ware

Se por aqui já andávamos a saltar em cima do sofá com o volume no máximo, foi fácil gostarmos de «110%». Este tema traz-nos à memória os momentos gloriosos do hip-hop old school e, com aquele instrumental, faz-nos viajar até «Millionaire», tema de Andre 3000 com a participação de Kelis.

Ainda temos muito mais para explorar e para gostar neste álbum, que não ficou indiferente à Rua de Baixo e que não vai ficar também para quem ainda não o ouviu.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This