rdb_header_johnwaynes

Johnwaynes

Produzir, promover e tocar música com substância.

Johnwaynes são Jepe e António Bastos, uma dupla portuguesa da música electrónica que se juntou no ano de 2005, para remisturar o tema «Celebrate» da banda pop Loto. Desde aí, apresentam-se na música sempre com o mesmo mote, “produzir, promover e tocar música com substância”. O caminho que percorreram até agora tem sido feito de cruzamentos. Cruzamento de géneros, ziguezagueando entre o acid house, o house orquestral, o disco-funk e o boogie, e cruzamento de nacionalidades, uma vez que o seu
trabalho já foi apreciado e editado um pouco por todo o mundo.

É no ano de 2006 que assinam pela editora nacional Bloop:Rec e no ano de 2007 é editado o primeiro EP da dupla, “Violeta”. No mesmo ano voltam a editar um disco, “Retoutch”, com remisturas de Llorca, David Duriez e Alex Parson, que levou o jornalista britânico John Freer a referenciá-los como “tecnotronic stylish house grooves”, música para ouvir e dançar. Estávamos no ano de 2008 quando a aventura segue por terras germânicas para editar pela prestigiada Compost Records o EP “Muzzle”, que conta com a participação do cantor norte-americano Hubert Tubbs, chegou a ser referenciado pelos melhores artistas internacionais como “um excelente trabalho de uma dupla a não perder de vista”. 2008 ia de vento em popa, é ainda
neste ano que é editado pela Compost Black Label o «Libertango», música que atingiu o número dois do Top Nacional da Antena 3 e mereceu airplay de destaque na MTV Portugal.

O ano de 2010 começa com o pé direito e editam pelas mais prestigiadas editoras como a japonesa Mule Musiq, Grovement e Sui Generis. Foi também no ano de 2010 que editam pela Optimus Discos o EP “What is all about”, que mantém o coração na pista de dança mas que explora a dimensão “emocional” das cinco músicas cantadas por vozes internacionais. Siri Svegler, Yannah, Stee Downes e Lady Bird, que também escreveram as letras, ajudam a dupla portuguesa a cobrir as suas viagens de “colorações, texturas e sensações”.

A essência dos Waynes é feita de condimentos e especiarias diferentes. Ziguezagueando entre o acid-house, house ou compostos mais orquestrais, com um desvio aqui e acolá para terrenos mais elegantes como o disco-funk e o boogie, revelam todas as suas influências, paixões e desejos. Quando actuam, quer em formato live ou live/dj, traduzem tudo aquilo que lhes vai na alma, na cabeça, nas veias de uma forma vibrante, harmoniosa e coerente. Na sua bagagem de festivais já contam com passagens pelo Sudoeste (2010), Super Bock Super Rock (2011), No Way Festival (2011, Áustria), Trop (2011, Genebra), Vilar de Mouros e Festival da Serra da Estrela, estes dois últimos ainda a acontecer este ano.

Para ficarem a conhecê-los ainda melhor podem passar pelo seu website, onde podem ouvir as suas músicas, ver os videoclips e saber onde serão as próximas paragens desta dupla que nos faz manter o pé na pista de dança.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This