rdb_karenwalker_header

Karen Walker

Have a perfect day.

Por trás de uma Karen [a esposa], de um Mikhail [o esposo] e de uma Valentina [a filha] existe um nome bem mais forte … Walker. E se nos lembrarmos que as mulheres é que controlam a coisa lá em casa, percebem facilmente o poder do nome Karen Walker.

Do outro lado do mundo, mais propriamente na Nova Zelandia, surge uma marca de moda precisamente com esse nome. Envolvida pela sua originalidade, criada quase sem esforço e orgulhando-se da sua despretensiosidade, Karen Walker torna-se um nome que sem querer ser cool o é e ao abominar tudo o que é “it”, se torna a “it brand”.

O trabalho de Karen celebra o “anti-it” principalmente as consideradas “it girls” do panorama “fashion” e social da moda, do cinema e da arte. Personagens como Ally Sheedy e o seu ar pesado e nerd em “The Breakfast Club” e a orfã Annie, a jovem deliquente popular do liceu que salta janelas para fugir da escola e juntar-se aos mafiosos lá do sitio, são as princesas do conto de fadas de Walker. Gente estranha é o que vos digo.

E é nesta estranheza que se inspiram as colecções da designer. Estas que se tornam donas e senhoras de uma inspiração exterior a explorar. O desconhecimento, o inimaginável, o não aceite, inspiram Karen em todas as suas confecções e pensamentos.

Estas exclusivas colecções encorporam-se ainda num conceito de linha casual chic, com um pezinho na alfaiataria e outro no street wear. O seu tema recorrente mostra-se linear. A marca delicia-se a ultrapassar barreiras, atingindo extremos e a esmagar elementos diferentes uns contra os outros: masculino e feminino, alfaiataria e street style, luxo e não luxo, obscuro e romântico. Em geral, a marca tem o seu quê de impotência em tudo aquilo que faz e tem já sido descrita pelo Jornal Independente do Reino Unido [The Independent UK] como sendo “aquela especie de look que tenta ser cool, mas que não se esforça minimamente para o ser, pois já o é. Uma marca com peças amorosas mas não diabéticas, alternativas mas não convencidas e cheias de si mesmas. O facto de estas roupas parecerem “tão-não-fashion” é que as tornam realmente “fashion.””

O estilo que vos descrevo pode parecer pesado e a puxar para o negro, mas acreditem de que negro as suas colecções têm muito pouco. Pelo contrário, se ao falarmos que as novas tendências para a estação quente de 2011, são o mix de padrões e as cores berrantes e alegres, não percebo porque é que ainda continuamos a falar somente de Prada, Gucci e Jil Sander.

E acreditem que esta marca tem ainda muito mais para oferecer. A verdade é que não temos só as roupinhas leves e sarampitadas de cor e gráficos apetitosos e peças estruturadas para o sector feminino, trazidas por “Hi There” – colecções passadas – e “Perfect Day” – colecções actuais. Ao que parece a senhora tem mais três condados: ‘Karen Walker Jewellry’, ‘Karen Walker Eyewear’ e ‘Karen Walker Paints’.

O primeiro, como o nome indica é dedicado a jóias. Pendentes românticos talhados a ouro misturam-se com delicadas pulseiras em filigrama e aneis trabalhados para tornar o mundo de Karen ainda mais perfeito do que já demonstra ser.

“Karen Walker Eyewear”, aposta numa linha divertida de óculos preferencialmente de massa, tanto para mulher como para homem. Chegam a deixar água na boca.

Por fim apresento-vos a submarca mais radical de todas, ou pelo menos a mais inesperada: “Karen Walker Paints”. Uma selecção de tintas e papeis de parede para encher a sua casa de cor, originalidade e alegria. A sua inspiração para esta colecção advem da escola Bauhaus da década de 1920, cujo conceito foi criar e combinar cores de um ponto de vista emocional e não de uma forma tecnica. Cores inseridas num grupo que conta uma história ao invés de simplesmente combinar tonalidades. Com isso em mente, criaram-se seis histórias que, fiel ao estilo Karen Walker, brincam com a combinação de opostos e reunem idéias de forma surpreendente.

Todo este sucesso, levou a que agendas online como a Phaidon e Editoras como a Taschen a incluissem nos mais esplendorosos lugares, entre as 100 mais influentes marcas a emergir nos próximos seis anos. A própria Taschen inclui-a num dos seus recentes livros “Fashion Now 2” juntamente com os 160 designers mais influentes no mundo seleccionados pela i-D magazine. A marca foi ainda galardoada em 2007 com a prémio de melhor talento criativo pela revista feminina Marie Claire.

Querem mais?

Karen Walker apresenta todos os anos na semana de moda em Nova Iorque, as suas propostas para as novas estações.

Tem showrooms permanentes em Londres, Nova Iorque, Tóquio e Sidney.

Desde 2002 que tem trabalhado exlusivamente com a stylist de topo Heathermaty Jackson. Stylist esta que conta com trabalhos em revistas conceituadas como Vogue, Teen Vogue, Elle, Numero entre muitas outras.

A marca Karen Walker encontra-se já instalada em mais de 350 lojas em todo o mundo em cidades como Nova Iorque, Londres, Los Angeles, Sidney e Tóquio e existem ainda mais três lojas próprias na Nova Zelandia e em Taipei

Celebridades como Björk, Sienna Millher, Alexa Chung, Beth Ditto, Jennifer Lopez e Claudia Schiffer são já algumas das muitas celebridades fãs de Karen Walker.

And so on, so on, so on.

Karen Walker – Perfect Day from Karen Walker on Vimeo.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This