rdb_artigo_laburbano

Laboratório de Arte Urbana

Fomos conhecer o pulsar do espaço lisboeta, que integra o colectivo GRRAU - Grafismo, Reabilitação e Renovação pela Arte Urbana e conversar com os seus mentores.

O Laboratório de Arte Urbana – LAU -, situado na Rua do Norte, número 103, “propõe-se como espaço de centralização do conhecimento relativo às práticas de Arte Urbana, tanto no domínio da sua delimitação como disciplina, assim como repositório, local de consulta e encontro”. Na prática, o espaço interior procura celebrar a vibrante cultura urbana do espaço público do Bairro Alto, “funcionando como uma extensão deste mesmo”, assume a organização do espaço. A Rua de Baixo trocou algumas palavras com Pedro Soares Neves, um dos responsáveis pelo projecto.

O LAU surge como prolongamento de um colectivo com muitos “tentáculos”. Resumidamente, em que consiste o colectivo e qual a pertinência do LAU na vossa existência?

O grupo de pessoas que está envolvido na iniciativa da qual o Laboratório de Arte Urbana faz parte (GRRAU) é um grupo que acompanhou quer na prática quer na teoria a evolução no panorama nacional do graffiti/street art/arte urbana, em suma das apropriações gráficas espontâneas que caracterizam o ambiente visual urbano das nossas cidades. Assim, o colectivo será o de todas as pessoas que puseram e põem em prática este tipo de acções.

Arte urbana, Portugal, 2009. Como vês o cenário? Há gente com ideias a criar coisas?

Eu tenho uma visão particular, de que Portugal tem características únicas que o tornam um palco privilegiado para o papel da arte urbana como incentivo à participação dos cidadãos no seu espaço público. Por outras palavras, acho que aqui é possível trazer as pessoas à acção sobre o território, de uma forma micro, mas gerando condições de uma maior sustentabilidade. Para mim isso será a Arte com A grande, a outra não me interessa. 2009 será um passo.

A escolha do Bairro Alto como espaço para o LAB surgiu por que motivo?

Caso de estudo, paradigma assumido por todos.

Próximas ideias do colectivo, o que têm previsto para breve?

De 17 Abril a 10 de Maio o Safari Lisbon vai incentivar os visitantes da Rua do Norte 103 a agir, a fazer parte da concepção das obras. Em Julho a Galeria de Arte Urbana (GAU, outra frente da GRRAU) irá receber o fruto de uma chamada à participação. Em Julho em conjunto com um seminário internacional no ISCTE será dado espaço a iniciativas práticas. O plano é de três anos, vamos no primeiro.

Recomenda-se a visita aos links visíveis no lado direito da RDB.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This