LisboaPhoto

A Bienal de Fotografia de Lisboa está de regresso.

Até ao próximo dia 18 de Setembro, Lisboa vai ser a capital da fotografia com a segunda edição da Lisboaphoto. Este ano, o tema da bienal de fotografia é “a imagem cesura” que, nas palavras de Sérgio Mah, comissário geral do evento, é “a imagem por excelência da fotografia”, já que se trata de “uma prática comprometida com ‘acções de corte'”. A segunda edição do evento pretende assim explorar as conotações que este efeito de cesura suscita relativamente à ontologia da fotografia.

Envolvendo 15 núcleos expositivos e 12 locais na cidade, esta edição conta ainda com a realização de um programa paralelo com outros 24 eventos expositivos a cargo de galerias de arte e instituições de ensino de fotografia e/ou arte sediadas na cidade de Lisboa, que tiveram a responsabilidade de produzir e seleccionar os artistas e seus trabalhos em exposição.

O programa da Lisboaphoto reúne uma grande variedade de trabalhos, desde aqueles associados aos usos sociais e institucionais da fotografia, nomeadamente das áreas do fotojornalismo e da fotografia científica, até às práticas artísticas, com recurso a fotografias, vídeos, filmes, esculturas e instalações. A selecção dos artistas e das obras articulou-se a partir da delimitação de um conjunto de tópicos significantes: o apelo à imagem realista, num âmbito documental, ficcional ou performativo; a questão do enquadramento na fotografia e suas potencialidades estéticas e técnicas na reconfiguração do espaço real; a imagem fotográfica e a experiência de suspensão e fixação do movimento e do tempo; a especificidade do funcionamento do dispositivo fotográfico e a sua relação com a fenomenologia da luz.

O projecto LisboaPhoto pretende desenvolver um quadro de parcerias significativas com as instituições e agentes de arte e cultura da cidade, bem como a mobilização da generalidade dos equipamentos e recursos culturais afectos à Câmara Municipal de Lisboa.

A abertura da bienal ficou a cargo da retrospectiva de Joshua Benoliel, a principal da obra do fotojornalista, há muito projectada. A exposição vai estar patente até 21 de Agosto no Torreão Nascente da Cordoaria Nacional.

Joshua Benoliel (1873-1932) é um dos pioneiros do fotojornalismo em Portugal e a sua obra traduz-se no mais importante e qualificado arquivo da sociedade portuguesa das primeiras décadas do século XX, de acordo com informação da Câmara de Lisboa, organizadora da II Bienal da LisboaPhoto.

Vindas, em grande parte, do Arquivo Municipal de Lisboa, as fotografias de Joshua Benoliel retratam períodos importantes da história de Portugal, como o regicídio e a implantação da República, mas também marcantes episódios da História mundial, como a I Guerra Mundial.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This