Lisboarte.com 2004

No dia 8 de Maio foram inauguradas 18 exposições em Lisboa no âmbito do projecto Lisboarte.com. A Rua de Baixo esteve presente em 11 galerias.

Como uma grande capital europeia, Lisboa tem um grande leque de propostas artísticas e um conjunto de galerias que está ao nível das suas congéneres europeias.

O projecto Lisboarte.com tem como principal objectivo a divulgação dessas galerias e as obras expostas que, muitas vezes, têm passado despercebidas pelo grande público, mostrando que a arte é para todos e não só para uma pequena elite de notáveis entendidos.

De forma a inaugurar as exposições e numa iniciativa que merece ser destacada e aplaudida, a Associação Portuguesa de Galerias de Arte, em conjunto com a Câmara Municipal de Lisboa, organizou no passado dia 8 de Maio dois percursos que percorreram as dezoito galerias incluídas no projecto.

O trajecto foi feito através de autocarro e foi um grande sucesso. A Rua de Baixo esteve num desses percursos, o mais longo, e teve a oportunidade de estar presente em 11 diferentes inaugurações, ficando a conhecer algumas das mais importantes galerias de Lisboa. Embora os dois autocarros não se encontrassem cheios, a adesão à iniciativa foi bastante aceitável mostrando que, com uma boa promoção do evento, será possível trazer muito mais pessoas.

A viagem começou por volta das 15 horas no museu da cidade no Campo Grande e o percurso até à primeira galeria foi relativamente curto. Na galeria 111 – www.galeria111.pt – nos seus dois espaços, está exposta a mais recente exposição de Eduardo Batarda, “Miniaturas e pequenos formatos”, trabalhos onde o acrílico é predominante. Esta galeria não fazia parte do circuito mas, devido à grande proximidade da galeria com o museu da cidade, fez todo o sentido fazer a primeira paragem nesta conhecida galeria que tem também um espaço na cidade do Porto.

Depois da cento e onze partimos para o Centro Cultural de Belém onde visitámos a galeria Arte Periférica – www.arteperiferica.pt – onde o pintor de Alcobaça António Andrade tem exposto o seu último trabalho: “A Mulher e a Máscara”, onde a mulher é a principal inspiração para a sua obra. Uma grandiosa obra a descobrir e uma galeria interessante, que se encontra já no interior do Centro Cultural de Belém.

De Belém partimos para a galeria São Bento, onde os artistas do grupo “El Paso” expõem a sua obra. Sem demoras mas com algumas dificuldades de manobra do autocarro nas estreitas ruas alfacinhas, partimos para Campo de Ourique naquela que foi uma das grandes surpresas da tarde. Na galeria Lisboa 20 – www.lisboa20.pt – para além de descobrir a obra do jovem pintor Bruno Pacheco, ficámos a conhecer um espaço muito interessante, a cargo de pessoas jovens, que têm na arte a sua paixão. Uma galeria e exposição para ficar a conhecer com mais pormenor na próxima edição da Rua de Baixo.

Da Lisboa 20 para a Diferença, o percurso foi pequeno, mas as diferenças estilísticas são enormes. Essas mesmas diferenças são a principal característica deste conjunto de exposições que apenas têm em comum a enorme qualidade dos trabalhos. Na galeria Diferença, descobrimos um espaço simpático, onde foi inaugurada a exposição de Albertina Sousa.

Da Diferença, viajámos para a galeria Luís Serpa onde, mais uma vez, fica provada a diversidade de sugestões deste conjunto de galerias, através de um Fotoportfólio bastante interessante. Do Rato viajámos até ao Bairro Alto.

Na galeria Galveias – www.galveias.pt – Cruzeiro Seixas tem exposto o seu mais recente trabalho, baseado no surrealismo, sonhos e pensamentos. O próprio artista, em semelhança com o que aconteceu em todas as galerias, esteve presente e plenamente disponível para quem o quisesse cumprimentar, conversar ou pedir um autógrafo.

Da Galveias partimos para a galeria Palmira Suso – www.galeriapalmirasuso.pt – onde estão expostos os trabalhos de Teresa Aguiar que são nitidamente influenciados pelo mundo animal e principalmente canino.

A próxima galeria da lista, Novo Século, poderá ter sido uma qualquer garagem, mas é nesta altura um espaço de arte onde estão expostos os trabalhos de Isabel Sabino numa mostra designada por “À Sombra das Oliveiras”, onde a utilização de diversos materiais torna o seu trabalho bastante especial.

A aventura pelas galerias alfacinhas estava quase a chegar ao fim mas ainda houve tempo para ficar a conhecer mais um espaço. Na galeria Jorge Shirley – www.jorgeshirley.com – em São Bento, Nuno Nunes Ferreira tem o seu trabalho exposto num espaço de dois pisos, que foi mais uma grande surpresa da tarde. Quem lá puder ir, não perca as maravilhosas estruturas feitas de carvão que através da sua simplicidade torna a composição sublime.

Para finalizar esta tarde dedicada à arte contemporânea, visitámos a galeria São Francisco – www.saofranciso.ws – que, devido à adiantada hora, já se encontrava encerrado, tendo reaberto de propósito para a nossa visita. Neste espaço do Chiado encontramos a obra de Oliveira Tavares num local que merece uma visita.

Depois de iniciada esta aventura às 15 horas, chegámos ao Campo Grande por volta das 21:15 com onze galerias percorridas. Para a organização, o objectivo foi cumprido e quem participou, embora tenha terminado o percurso um pouco cansado, ficou satisfeito com a iniciativa e provavelmente irá repetir a dose.

Importa referir que todas as exposições agora inauguradas irão estar patentes até ao próximo dia 19 de Junho e que para a próxima edição da Rua de Baixo iremos destacar algumas galerias. Por isso fiquem atentos e não deixem de apoiar a cultura portuguesa.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This