LisbonTalks – IndieLisboa 2012

Durante o IndieLisboa o público terá a oportunidade de fazer parte de um espaço permanente de debate, centrado na produção cinematográfica independente, que contribuirá para a adaptação a uma realidade em constante mutação. Como sobrevive o cinema independente e, mais, se fortalece, numa conjuntura desfavorável?

As LisbonTalks, debates e conversas organizadas em parceria com a Universidade Lusófona, serão espaços de estímulo à criatividade, à discussão e à formação, e realizam-se de 29 de Abril a 4 de Maio no Cinema São Jorge e Hotel Florida.

Começaremos por debater o actual cinema português e a melhor forma de o produzir, promover e distribuir face à conjuntura económica no seminário O estado do cinema Português: criatividade vs economia, moderado por Paulo Viveiros (Universidade Lusófona). Entre outros convidados, contamos com a presença de Daniel Chabannes, da Epicentre Films, responsável pela distribuição em França das obras mais recentes de Manoel de Oliveira e João Pedro Rodrigues. Seguir-se-á o debate Distribuição Independente ou alternativa e criação de novos públicos, que conta com a presença de Pandora da Cunha Telles (fundadora da Ukbar Filmes), uma conversa que irá explorar o tema da procura de um público mais alargado. Falaremos ainda sobre a nova cinematografia suíça, em destaque na secção Cinema Emergente do festival, debate que contará com os realizadores Ursula Meier e Lionel Baier, entre outros convidados, e que será moderado por Ariel Schweitzer, crítico da Cahiers du Cinéma. Apresentaremos também um olhar renovado – na perspectiva de novos autores – sobre o panorama nacional no debate O cinema português visto pelos mais novos – Reflexão sobre o actual estado do cinema português. Não esqueceremos a passagem por estruturas que dão corpo à criação, como a construção de uma narrativa adaptada aos novos meios de comunicação digital, um debate para o qual convidamos como moderador Manuel José Damásio (director da Licenciatura em Cinema, Vídeo e Comunicação Multimédia da Universidade Lusófona) e Possidónio Cachapa (argumentista, realizador e programador), e cujo fio condutor será a maximização das ferramentas virtuais. Fechamos as LisbonTalks’12 com o debate sobre A importância do som no cinema.

Programa LisbonTalks

Seminário: O estado do cinema Português: criatividade vs economia
Domingo, 29 de Abril, das 09h30 às 17h00, Hotel Florida

“Este ano a proposta centra-se numa análise do cinema português, num ano de grande visibilidade internacional e de indefinição interna – prémios em festivais internacionais de grande prestígio, a maior participação portuguesa de sempre no festival de cinema de animação em Annecy, o fim da Tobis, o congelamento do dinheiro para os subsídios do ICA, a indefinição sobre a promulgação da lei do cinema… “ (Paulo Viveiros – orientador do seminário). O Seminário desenvolve-se ao longo de 3 painéis temáticos: Produção, Formação, Promoção e Distribuição e fecha com um Case Study – uma experiência relevante portuguesa no panorama internacional. Inscrições e informações talks@indielisboa.com (dados: nome e morada completa, C.V., N.I.F., e B.I.)

Distribuição Independente ou alternativa e criação de novos públicos
2ª Feira, 30 de Abril, Cinema São Jorge, sala 2, 18.30, entrada livre

Novos esquemas de distribuição têm demonstrado a capacidade de ver cinema em Portugal, segundo moldes mais inventivos e renovados. Moldar a distribuição para novos espaços de exibição, maior distribuição geográfica e alargamento do número de espectadores, são algumas das motivações que têm guiado produtores e distribuidores. Vamos saber o que se tem feito neste campo e o que se visa fazer para manter esta dinâmica num elevado grau de abertura e inovação.

Um caso à parte – o novo cinema suíço
3ª Feira, 1 de Maio, Cinema São Jorge, sala 2, 18.30, entrada livre

A propósito do foco do Cinema Emergente dedicado ao cinema suíço e integrado no programa de conversas e debates do festival, o IndieLisboa organiza um encontro para discutir a posição ocupada pelos autores do colectivo Bande à part (Lionel Baier, Ursula Meier, Frédéric Mermoud e Jean-Stéphane Bron) no interior da cinematografia helvética e a actual situação da produção, exibição e ensino do cinema no país. A conversa terá lugar em inglês.

O cinema português visto pelos mais novos – Reflexão sobre o actual estado do cinema português
4ª Feira, 2 de Maio, Cinema São Jorge, sala 2, 18.30, entrada livre

Face à diversidade do Cinema Português, à sua linhagem narrativa e estética, mas também à luz dos recentes sucessos e prémios a nível internacional, de que forma olham os novos realizadores para esta herança? Que tipo de influências, contaminações, assimilações ou distâncias se pode falar? Vamos através destes novos autores ver/rever o estado do cinema português. Vamos fazer um balanço, reflectir e projectar o olhar segundo estas novas vozes e estes novos olhares. Mas vamos também interpelar todo o meio profissional português e pôr várias gerações a falar.

Construção de novas narrativas como resposta aos novos media
5ª Feira, 3 de Maio, Cinema São Jorge, sala 2, 18.30, entrada livre

O desenvolvimento tecnológico e a introdução normalizada das plataformas de comunicação digital, veio impor uma reconfiguração nas narrativas que as suportam. Até onde será possível tirar partido das novas possibilidades e de que forma as comunidades virtuais ganharão com a sua participação? Vamos discutir como pensar e escrever para os novos media, o enquadramento das ferramentas inovadoras, e as implicações sociais e criativas.

A importância do som
6ª Feira, 4 de Maio, Cinema São Jorge, sala 2, 18.30, entrada livre

O som é um elemento vital na criação e tem um lugar inequívoco nas suas múltiplas e elaboradas construções artísticas, seja em cinema, teatro ou em música. Falar do som impõe-se este ano nas LisbonTalks, alargando-se o seu espectro de acção às variadas componentes do cinema, sendo ainda de referir que os criadores de som são considerados autores à luz do código de direitos de autor, juntamente com realizadores e argumentistas. Criadores, misturadores, compositores, engenheiros, produtores, e todos os intervenientes na arquitectura sonora são aqui convidados para debater esta dimensão de inescapável importância no campo criativo.

O IndieLisboa’12 é organizado pela Zero em Comportamento – Associação Cultural, com o apoio financeiro do Secretário de Estado da Cultura/ICA – Instituto do Cinema e do Audiovisual, da CML – Câmara Municipal de Lisboa, e do Programa MEDIA, da União Europeia; em co-produção com a Culturgest e o Cinema São Jorge e em parceria estratégica com a EGEAC – Empresa de Gestão de Equipamentos e Animação Cultural, EEM.



Também poderás gostar


Pin It on Pinterest

Share This